Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Governo Eletrônico

Conferência traz conceito de e-car e discute cidadania digital

Por 

Nesta quarta acontecerá o último dia da I3E2003 (The third IFIP conference on e-Commerce, e-Business, and e-Government), que está acontecendo no Guarujá, em São Paulo. A organização procurou realizar um evento à altura das melhores conferências internacionais, e a comissão organizadora é a seguinte:

General Chair: Manuel de Jesus Mendes

Program Co-Chairs: Reima Suomi e Carlos Passos

Organizing Co-Chairs: Romildo Monte e Roberto Agune

Treasurer Chair: Jarbas Cardoso

Workshops Chair: Clenio Figueiredo

Conference Honorary Chairs: Prof. Dr. Radu Popescu Zeletin, Fokus, Fhg, Germany, e Arnaldo Madeira, Secretário da Casa Civil de São Paulo.

O Ijuris - Instituto de Governo Eletrônico, Inteligência Jurídica e Sistemas - é um dos "supporters" do evento, e realizará, neste último dia, o workshop sobre "Soluções tecnológicas para Governo Eletrônico".

Nesta terça, dia 23/09, destacaram-se os seguintes pontos:

1) Sessão de abertura: "E-Cars: communication on the road"

Dr. Ralf Guido Herrtwich, Daimler Crhysler Telematics Research

Relatada por Cláudia Diaz Pomar, Valdir Antonio Luiz Junior e Eduardo Marcelo Castella

A telemática surge como uma nova tendência na indústria automotiva, mudando drasticamente o modo de comunicação dos automóveis. Veículos conectados com a Internet são uma realidade desde 1997, quando a Mercedes-Benz introduziu o primeiro carro conectado à Web. A conexão entre veículos, anteriormente feita através de sinais de luz ou sonora, passou a efetivar-se sob formas mais dinâmicas. Serviços como notícias, escritório móvel (e-mail, fax,...), indicação de hotéis, restaurantes, cinemas, rastreamento do veículo, manutenção que inclui telediagnóstico e atualização, indicação de tráfego, clima, geografia, e outros serviços automotivos, farão parte da nossa realidade muito em breve.

O e-car estabelecerá tais conexões através de celulares, sensores dispostos em vias públicas e satélites. Ele se conectará à Internet, ou com outros veículos, ampliando suas funcionalidades, permitindo compartilhar e trocar informações, e ainda, será possível comunicar-se com dispositivos de sinalização nas rodovias e dentro das cidades. Receberá informações de sensores dispostos ao longo das mesmas com indicações sobre acidentes geográficos, tais como declives e curvas, e também no caso de serviços reparadores ou atendimento a acidentes. Sensores também poderão funcionar como sistemas de segurança dentro do veículo, evitando colisões, podendo mesmo frear o veículo automaticamente no caso de aproximação de obstáculo e, detectar quando o motorista estiver sonolento ou cochilando. Nestes dois últimos casos já existem protótipos e sistemas em funcionamento, mas longe das reais possibilidades de uso.

Os serviços telemáticos otimizam fatores como segurança, conforto, eficiência e informação. É possível que ao envolver-se em um acidente, o sistema de comunicação acione polícia, serviços médicos, bombeiros, e também outros e-cars que estejam nas proximidades; evitando que os mesmos possam envolver-se no acidente o que causaria mais transtornos. Semáforos inteligentes emitirão sinais, ou modificarão seu tempo e fase, em caso de eminente colisão.

A tecnologia do e-car vêm sendo desenvolvida por várias montadoras de veículos, porém para sua efetivação em toda amplitude desejada pelas companhias dependerá de parcerias da iniciativa privada com a infra-estrutura governamental, disponibilizando equipamentos, sensores, em locais públicos. A idéia é de que esta tecnologia seja empregada em todas os modelos de veículos, hoje ainda restrita a modelos mais luxuosos.

A comunicação tecnológica do e-car tem potencial para capacitar e suportar várias inovações na indústria automotiva. Os desafios prometem ser resolvido em curto prazo, envolvendo baixo custo e qualidade de serviços. E-car e comunicação em rodovias está provavelmente mais próximo do que se imagina.

2) Sessão de encerramento: "e-Society: myth, strategy, implementation, reality-and what comes next?"

Dr. Karl-Heinz Loper, Ministry of Interior, Land of Berlin, Germany

Relatado por Eduardo Marcelo Castella

Os serviços de e-gov vêm sendo constantemente aprimorados e ofertados em maior quantidade tanto em produtos quanto em acessibilidade. Mas mesmo em países como a Alemanha, especificamente em Berlin, onde a implementação já ocorre há dez anos, vê-se que há muito a evoluir.

Dentro do quadro de expansão para atendimento ao cidadão via eletrônica, há a necessidade de implementar políticas no sentido de instalar serviços de envio de informações (acesso público à rede); serviços interativos; agregar valor aos serviços ofertados; redesenhar processos; proceder a uma administração do relacionamento com o consumidor. Tal importará, de outro lado, em considerar os custos reais de operação do sistema; a quantidade de acessos; infra-estrutura; segurança e a facilidade no uso. Na ponta final tem-se: melhor qualidade dos serviços em menor espaço de tempo.

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

 post doc em governo eletrônico professor da UFSC. É também ex-secretario de Geração de Oportunidades de Florianópolis. Especialista em Informática Jurídica, doutor em Inteligência Aplicada e pós-doutor em Governo Eletrônico. Ex-Promotor de Justiça e ex-Procurador da Fazenda Nacional.

Revista Consultor Jurídico, 24 de setembro de 2003, 2h32

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 02/10/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.