Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Banco dos réus

Caso Agroceres: empresário é julgado em SP

O empresário F. Z. A, acusado de matar o pai e ex-presidente da Agroceres, Ney Bittencourt Araújo, em janeiro de 1996, será julgado pelo Júri na quinta-feira (11/9).

O ex-presidente da Agroceres foi encontrado com um tiro no peito em seu apartamento, no Jardim Paulista, em São Paulo.

O julgamento será, às 13h, no Primeiro Tribunal de Júri no Complexo Criminal Ministro Mário Guimarães, na Barra Funda. O empresário é defendido pela advogada Dora Cavalcanti Cordani.

Revista Consultor Jurídico, 9 de setembro de 2003, 16h24

Comentários de leitores

2 comentários

O caso se dirije para a impunidade. O empresár...

João Carlos Camasmie Amante ()

O caso se dirije para a impunidade. O empresário Ney Bittencourt, esse conhecido por sua competência e integridade não só no Brasil, está sendo acusado pelo filho, esse sim real acusado pelo assassinato, por ter cometido um suicidio. O caso é claro. a Agroceres recebeu uma proposta de venda de um grupo extrangeiro. Ney na época, não aceitou a proposta. Empresário empreendedor e competente como era, queria continuar comandando a empresa. Ney passou então a ser um empecilio para a venda da empresa. Após seu assassinato, a empresa foi vendida. Fica claro o motivo do crime. No mês de março desse ano, ocorreu o adiamento do julgamento, motivado por uma dicussão entre a promotora, Passareli e os advogados de defesa de Frederico. A discussão ocorreu devido ao fato que os advogados de Frederico queriam afastar o depoimento dos peritos de balistica, que encontraram pólvora e afirmaram que o disparo foi feito pelo acusado e que não há hipótese de disparo acidental. Hoje será o julgamento de Frederico. Esse ocorrerá sem a presença da promotora Passareli, que foi substituida.

Incrível. A justiça paulista está melhorando. S...

Ticão - Operador dos Fatos ()

Incrível. A justiça paulista está melhorando. Só levou 7 anos para ir a julgamento!

Comentários encerrados em 17/09/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.