Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Defensoria Pública

Ingresso de advogados na Defensoria sem concurso é questionado

O ingresso de advogados na Defensoria Pública do Amazonas, sem concurso público, é alvo de uma ação direta de inconstitucionalidade ajuizada pelo procurador-geral da República, Cláudio Fonteles. Ele questiona artigos do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT) do Amazonas e dos Atos das Disposições Finais e Transitórias da Lei Complementar nº 1 do mesmo estado.

No primeiro caso, o artigo 21 do ADCT/AM autoriza o ingresso nos quadros da Defensoria Pública dos advogados de ofício, sem concurso público. Os artigos 1º e 3º da Lei Complementar questionada ampliam o benefício, permitindo a mesma absorção do procurador regional do extinto Departamento de Assistência Judiciária da Secretaria de Estado da Justiça e do advogado de ofício da auditoria militar.

Fonteles argumenta que, de acordo com o inciso II do artigo 37 da Constituição Federal é expressa a obrigação de prestação de concurso público para o exercício de cargo ou emprego público. Além disso, o parágrafo único do artigo 134 do texto constitucional, que disciplina a defensoria pública, também prevê a realização de concurso para o provimento dos cargos.

O procurador-geral menciona, ainda, o artigo 18 do ADCT que determina a extinção dos efeitos jurídicos de qualquer ato legislativo ou administrativo, a partir da instalação da Assembléia Nacional Constituinte, que tenha por objetivo a concessão de estabilidade a servidor admitido sem concurso público. (STF)

ADI 2.985

Revista Consultor Jurídico, 5 de setembro de 2003, 16h53

Comentários de leitores

1 comentário

A questao nao e cerebrina. Basta um pouquinho d...

Paulo Trevisani (Advogado Assalariado - Previdenciária)

A questao nao e cerebrina. Basta um pouquinho de exegese para se aquilatar a necessidade de concurso publico. A porta de entrada dos fundos para o serviço publico fechou desde o dia 05.10.1988. Como pode o STF ser acionado para tais questiunculas!! O poder constituinte originario assim determinou. Tollitur quaestio.

Comentários encerrados em 13/09/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.