Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Judiciário ameaçado

Presidente do Supremo quer manter confiança na ordem jurídica

O assassinato de dois juízes em 15 dias é uma "tentativa de intimidação do poder Judiciário" e o Estado deve acordar e tomar providências. As afirmações foram feitas pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Marco Aurélio, nesta segunda-feira (24/3), em pronunciamento veiculado pela TV Justiça.

Confira a íntegra do pronunciamento:

"Quero endereçar aos magistrados em geral e às autoridades constituídas uma mensagem. Uma mensagem de confiança na ordem jurídica. A segurança pública é um dever do Estado; é direito e responsabilidade de todos e devemos ter os nossos olhos voltados ao estágio atual.

Estarrece que, em um espaço de tempo de 15 dias, tenhamos nos confrontado com dois episódios lamentáveis. Dois episódios reveladores de verdadeira execução, de integrantes da magistratura nacional.

É difícil conceber que cumprir a lei, e fazê-la cumprida, resulte em risco de vida. A tentativa é de intimidação do Poder Judiciário e cabe ao Estado reagir, cabe ao Estado acordar, tomando providências nesse ponto. Providências imediatas quanto à integridade física dos membros do Ministério Público e de senhores juízes, e também, quanto à repressão ao crime.

Estou endereçando aos governadores dos estados, ofício, pedindo providências, e pedindo providências para o bom funcionamento do Poder Judiciário".

Leia também:

24/3/2003 - 'Juízes receosos'

Ministro Marco Aurélio pede segurança para Justiça

Revista Consultor Jurídico, 24 de março de 2003.

Revista Consultor Jurídico, 24 de março de 2003, 11h24

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 01/04/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.