Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Privacidade em pauta

Mendigo leva diretores de vídeo à Justiça nos Estados Unidos

Um dos mendigos que aparece no vídeo Bumfights, com imagens de brigas entre sem-teto, levou aos tribunais os produtores da fita, sob a alegação de que jamais havia autorizado sua participação na produção. O vídeo Bumfights, que tem uma hora de duração e é vendido pela internet, exibe uma repulsiva mostra das sangrentas e corriqueiras brigas entre mendigos nos Estados Unidos.

Um deles, Peter LaForte, de 31 anos, entrou com uma ação num tribunal de San Diego (Califórnia), argumentando que os produtores violaram o seu direito à privacidade e que havia sofrido 'humilhações e medo constantes' por causa da filmagem.

LaForte disse ainda que os quatro produtores haviam pago uma mulher de mais de 125 quilos para que o agredisse no lavatório de uma praia há dois anos. Esta briga é a primeira mostrada no vídeo, que também exibe um mendigo tirando um dente com um alicate e dando cabeçadas contra uma porta de aço.

Um dos apresentadores mais polêmicos e criticados do rádio e da televisão americanos, Howard Stern se encarregou de promover o vídeo, cuja divulgação foi até mesmo objeto de denúncia no Congresso americano.

Apesar da crueldade e do mau gosto das imagens, mais de 300 mil cópias do vídeo, que custa US$ 20, já foram vendidas. O advogado de LaForte argumentou na ação que os produtores não deveriam lucrar em cima da má conduta de seu cliente. Além disso, contou que o sem-teto quer uma indenização, cujo valor não especificou.

Por sua vez, o advogado dos quatro produtores disse que a ação 'não chegará a parte alguma' quando 'o outro lado da história' for conhecido. Em janeiro, um pequeno tribunal decidiu que não havia provas suficientes para processá-los.

Fonte: JB Online

Revista Consultor Jurídico, 10 de março de 2003.

Revista Consultor Jurídico, 10 de março de 2003, 14h45

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/03/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.