Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Terras indígenas

..."Artigo 5º. São funções institucionais do Ministério Público da União :

I - (omissis)

II - (omissis)

III - a defesa dos seguintes bens e interesses:

a) (omissis)

b) (omissis)

c) (omissis)

d) (omissis)

e) os direitos e interesses coletivos, especialmente das comunidades indígenas, da família, da criança, do adolescente e do idoso;"

3.Por sua vez, o artigo 6º, inciso VII, alíneas "a" e "c", e inciso XI, também da Lei Complementar nº 75, explicita a competência do MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL para atuar na presente causa. É isso o que se dessume do seu teor, abaixo transcrito :

"Artigo 6º. Compete ao Ministério Público da União :

I - (omissis)

II - (omissis)

III - (omissis)

IV - (omissis)

V - (omissis)

VI - (omissis)

VII - promover o inquérito civil público e a ação civil pública para :

a) a proteção dos direitos constitucionais;

b) (omissis)

c) a proteção dos direitos individuais indisponíveis, difusos e coletivos, relativos às comunidades indígenas, à família, à criança, ao adolescente, ao idoso, às minorias étnicas e ao consumidor;

VIII - (omissis)

IX - defender judicialmente os direitos e interesses das populações indígenas, incluídos os relativos às terras por elas tradicionalmente habitadas, propondo as ações cabíveis."

4.O dispositivo legal supracitado é complementado pelo artigo 37, inciso I, assim como pelo artigo 70 e parágrafo único, da aludida Norma Legal :

"Artigo 37. O Ministério Público Federal exercerá as suas funções:

I - nas causas de competência do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal de Justiça, dos Tribunais Regionais Federais e dos Juízes Federais, e dos Tribunais e Juizes Eleitorais."

"Artigo 70. Os Procuradores da República serão designados para oficiar junto aos Juízes Federais e junto aos Tribunais Regionais Eleitorais onde não tiver sede a Procuradoria Regional da República.

Parágrafo único. A designação de Procurador da República para oficiar em órgãos jurisdicionais diferentes dos previstos para a categoria dependerá de autorização do Conselho Superior."

5.Também a Lei nº 6.001, de 19 de dezembro de 1973(Estatuto do Índio), dispõe sobre a competência do MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL para propor a presente Actio. Vejamos o artigo 36 da citada Norma :

"Artigo 36. Sem prejuízo do disposto no artigo anterior, compete à União adotar as medidas administrativas ou propor, por intermédio do Ministério Público Federal, as medidas judiciais adequadas à proteção da posse dos silvícolas sobre as terras que habitam."

6.Dessume-se, portanto, que tem o MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por determinação constitucional, a missão de agir como substituto processual das parcelas hipossuficientes, especialmente das comunidades indígenas e da sociedade organizada perante o Poder Judiciário, levando ao seu conhecimento e apreciação as causas que excedam a esfera jurídica individual, com o objetivo de tornar concreto o acesso à Justiça, bem como impedir que, pela multiplicação das demandas atomizadas, entre o Poder Judiciário em colapso.

7.A jurisprudência igualmente sacramenta esse entendimento, conforme o Julgado a seguir colacionado :

"CONFLITO DE COMPETÊNCIA

Relator : JUIZ SINVAL ANTUNES

Órgão Julgador : QUINTA TURMA - TRF3

Publicação : DJ 17/12 /1997

Ementa : PROCESSUAL CIVIL. CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROMOVIDA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PLEITEANDO DIREITOS E INTERESSES INDÍGENAS. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA FEDERAL. INTELIGÊNCIA DO ARTIGO 109, INCISO XI, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. CONFLITO JULGADO PROCEDENTE.

1 - O caso é de competência funcional absoluta, por isso o juiz, por provocação da parte, ou de ofício, em qualquer momento do processo ou grau de jurisdição, deverá declarar-se incompetente, quando verificar vício quanto à competência.

2 - Ao excepcionar a competência da Justiça Federal para as ações civis públicas, o artigo 93 da Lei nº 8.078 afastou a competência da Justiça Estadual para a causa, prevista no artigo 2º da Lei nº 7.343/85, quando figurar no feito a União Federal, suas entidades autárquicas e empresas públicas. Portanto, mesmo que a competência delineada na lei ordinária seja de natureza funcional, e assim absoluta e inderrogável, há de prevalecer o disposto no artigo 109, inciso XI, da Constituição Federal de 1988.

3 - Ao colocar-se em confronto os incisos I e XI e os parágrafos 1º e 2º, do artigo 109 com o parágrafo 3º, chega-se à conclusão de que as exceções à jurisdição federal são aquelas declaradas no item 1, não havendo de extrair-se do parágrafo 3º, um outro tipo de excepcionalidade, relativamente às causas de interesses da União, visto que disposição em comento refere-se a entidades diversas.

4 - Nas ações civis públicas, cujo objeto seja a defesa dos interesses globais de silvícolas, ainda que promovidas nos termos da Lei nº 7.347/85, a competência para o seu processo e julgamento será dos juízes federais.

5 - Não cabe cogitar da aplicação da Súmula nº 183 do Colendo Superior Tribunal de Justiça, porquanto o verbete refere-se exclusivamente à matéria ambiental, como se denotados precedentes que o informam.

Data Decisão : 17/12 /1997

Decisão : Conflito julgado procedente para reconhecer a competência do juízo suscitado." (destacamos)

Revista Consultor Jurídico, 6 de março de 2003, 18h59

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 14/03/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.