Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ponto final

Nelson Jobim arquiva inquérito contra ministro da Fazenda

O ministro Nelson Jobim, do Supremo Tribunal Federal, determinou o arquivamento de inquérito instaurado pela Procuradoria-Geral da República contra o atual ministro da Fazenda, Antônio Palocci. O inquérito teve por base representação feita por Fernando Chiarelli, cidadão paulistano residente em Ribeirão Preto, em razão de supostas irregularidades nas contratações de obras e serviços emergenciais após a enchente ocorrida no município paulista nos meses de janeiro e fevereiro de 2002.

As fortes chuvas provocaram inúmeros alagamentos na cidade, exigindo o pronto atendimento à população pela prefeitura, conforme alegado pela defesa de Palocci.

Jobim, relator do inquérito, afirmou que "a confusa notitia criminis aponta diversos fatos sem conexão entre si". Segundo ele, a questão já foi objeto de outros inquéritos arquivados no STF, o que denota motivação política de Fernando Chiarelli.

"Este Tribunal não pode servir de instrumento para dar vazão a discórdias puramente políticas ocorridas no âmbito municipal", declarou.

INQ 1.909

Primeiro emprego

O Supremo também recebeu parecer da Procuradoria-Geral da República opinando pelo arquivamento de outro inquérito ajuizado contra Palocci, quando ainda era prefeito de Ribeirão Preto, e todos os integrantes, à época, da mesa da Câmara Municipal, por suposta prática de crime de responsabilidade.

A representação, do mesmo Fernando Chiarelli, contesta suposta destinação indevida de verbas públicas ao Programa Primeiro Emprego, instituído pela Lei nº 9.213/01, que consiste na contratação de jovens, remunerando-os pela prestação de serviços em empresas privadas.

De acordo com Geraldo Brindeiro, "a vergastada ação dos representados (Palocci e outros), portanto, encontra-se devidamente amparada na edição da lei local, sem que se possa nisso enxergar prática delituosa". Em sua opinião, a permanência da acusação configuraria constrangimento ilegal. O relator é o ministro Carlos Velloso. (STF)

INQ 1.975

Revista Consultor Jurídico, 30 de maio de 2003, 12h58

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 07/06/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.