Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Eleições na OAB-SP

As eleições na OAB paulista e os gastos com as campanhas

A OAB paulista já está em plena atividade para o desenvolvimento de sua campanha eleitoral que elegerá novos líderes e suas diretorias em todo o estado de São Paulo.

Comemorando 71 anos de fundação, a OAB-SP conta hoje com um número de 167 mil advogados inscritos em todo o território paulista, o que torna este, um dos maiores pleitos eleitorais nacionais. Para mensurar a dimensão deste pleito, calcula-se que os custos mínimos para a campanha de cada candidato à presidência da OAB-SP, giram em torno de R$ 800 mil, de acordo com dados de Ciglioni Consultoria.

Este ano, até o momento, oito candidatos disputam a presidência desta seccional. Com certeza muito trabalho para reportar. Só para avaliar a importância desta eleição, o estado do Rio de Janeiro, segundo maior em número de advogados da federação, tem hoje inscritos em seu quadro, 86 mil advogados, isto é, pouco mais que a metade do número existente no estado paulista.

Nesta eleição qualquer político ficaria com inveja da disposição dos candidatos à nova diretoria. Um exemplo claro é o número de visitas a serem feitas nas cidades do interior e litoral -- cerca de 205 em menos de 6 meses.

Cada candidato terá que realizar neste período de campanha, no mínimo duas visitas à cada cidade, o que transforma nossa estatística em 410 viagens ou mais de 90 mil quilômetros percorridos.

Serão eleitos simultaneamente para o biênio 2004/2006, o novo presidente da seccional São Paulo, seu "staf" de diretores, 95 conselheiros estaduais, 5 conselheiros federais, os quais ocuparão mais de 100 cargos, além de 216 presidentes das subsecções que elegem cada um, 4 novos diretores, perfazendo um total superior a 1.080 novos dirigentes da entidade no Estado.

O futuro presidente da OAB-SP terá total responsabilidade na condução dos mais de 167 mil advogados do Estado de São Paulo e, por se tratar de uma entidade atuante na defesa dos direitos do cidadão, já terá como cobrança efetiva os impasses resultantes das atuais reformas tributária e previdenciária e sua repercussão no dia-a-dia do cidadão brasileiro.

Revista Consultor Jurídico, 8 de maio de 2003.

Revista Consultor Jurídico, 8 de maio de 2003, 12h59

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 16/05/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.