Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Oxigênio renovado

Firma internacional de advocacia abre escritório em São Paulo

A firma de advocacia Shearman & Sterling LLP vai abrir um escritório em São Paulo. Com presença global, a firma vem atuando há cerca de 75 anos na América Latina. Começou a operar no Brasil na década de 30. No ano passado, faturou 700 milhões de dólares e é o sexto maior do mundo em receita.

O Shearman & Sterling tem mais de mil advogados em 18 cidades pelo mundo: Abu Dhabi, Beijing, Bruxelas, Dusseldorf, Frankfurt, Hong Kong, Londres, Mannheim, Menlo Park, Munique, Nova York, Paris, Roma, San Francisco, Singapura, Tóquio, Toronto e Washington DC. O sócio-presidente da firma, David Heleniak, afirmou: "há razões decisivas para abrirmos o escritório de São Paulo."

Sendo o Brasil a oitava economia do mundo e São Paulo o centro financeiro do País, segundo Heleniak, "o novo escritório será fundamental para a estratégia do Shearman & Sterling de trabalhar para empresas líderes nos principais mercados do mundo. "Temos alcançado grande sucesso no Brasil, independentemente dos altos e baixos na situação econômica, política e social da América Latina" - acrescentou.

O escritório de São Paulo será dirigido por André Jánszky e Richard Aldrich, Jr., sócios que hoje trabalham no escritório de Nova York. Jánszky é brasileiro e Aldrich já morou no Brasil, fala português fluente e ambos têm vasta experiência nos mercados financeiros latino-americanos.

"Este momento é muito oportuno para a abertura do escritório em São Paulo, principalmente tendo em vista as medidas eficazes que o governo brasileiro vem adotando para vencer os desafios que o Brasil enfrenta" - afirmou Jánszky. "O escritório permitirá que o Shearman & Sterling satisfaça as necessidades jurídicas cada vez maiores de seus clientes no Brasil, além de servir aos clientes da firma na Europa, Ásia e América do Norte, em seus negócios com o Brasil" - acrescentou.

Richard Aldrich, que morou dez anos no Brasil, afirmou: "Estamos muito animados com a perspectiva de nos tornarmos cada vez mais parte integrante do país onde já exercemos boa parte de nossas carreiras profissionais e com o qual temos profundas ligações pessoais".

O foco principal de atuação do escritório de São Paulo será a legislação dos Estados Unidos e internacional - e não a advocacia voltada às leis brasileiras. Para assuntos jurídicos brasileiros, os clientes da firma continuarão trabalhando, como sempre, com escritórios brasileiros. Um elemento-chave da prática do Shearman & Sterling continuará sendo o aproveitamento de seus 18 escritórios em onze países.

Segundo Jánszky, "a reconhecida capacitação da firma nos setores de mercados de capitais, financiamento bancário e de projetos, arbitragem e fusões e aquisições é extremamente útil para a crescente economia brasileira, orientada para as exportações e necessitada de capital. Este - afirmou - é um país com grandes necessidades; tem um setor empresarial sofisticado, que compreende o valor do aconselhamento jurídico sofisticado".

E concluiu: "O Brasil tem uma longa tradição de receber bem o capital estrangeiro. Por um lado é um país emergente, mas por outro lado tem um grande número de importantes empresas brasileiras com atuação global". (Andreoli/Manning, Selvage & Lee)

Saiba mais sobre a firma internacional de advocacia.

Revista Consultor Jurídico, 24 de junho de 2003, 12h06

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 02/07/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.