Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Previdência em pauta

Reforma é atentado contra a Previdência, afirma Reynaldo Puggi.

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: A manifestação começará com uma concentração em frente à Catedral de Brasília, a partir das 9 horas. Dali os servidores marcharão primeiramente até o Ministério da Previdência, depois seguem para o Congresso Nacional, passando pelo Palácio do Planalto. Também foram convidadas as entidades representativas dos trabalhadores da atividade privada. A previsão é de pelo menos 20 mil pessoas na Esplanada.

[15:24:46] - Débora Pinho, seja bem-vindo.

[15:26:43] - Vera Moreira ( MEDIADOR ) FALA COM TODOS : Continue mandando perguntas-

[15:28:06] - Bruno Torres Paraíso ( Diretor- Rumos - RJ ) pergunta : É justo que os funcionários públicos tenham aposentadorias gordas, pagas com dinheiro do contribuinte, que é, na maioria das vezes, empregado da iniciativa privada e vai aposentar-se com a ninharia paga pelo INSS?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: A aposentadoria é paga aos servidores com recursos do Tesouro destinados à manuntenção da máquina pública. Essa é a forma universalmente utilizada para sustentar o Serviço Público, que atende à sociedade, e reflete a evolução do direito administrativo. Os recursos do Tesouro de fato provém da arrecadação de tributos e da contribuição integral dos servidores (11% sobre toda a remuneração). É bom lembrar que também é a população que paga o lucro dos empresários e dos especuladores. A proposto do governo em nenhum momento propõe a redução da tributação ou melhoria na aposentadoria dos trabalhadores. Somos amplamente favoráveis em estender a aposentadoria integral para todos os trabalhadores.

[15:30:22] - Ana Paula Scinocca ( Repórter- Agência Estado - SP ) pergunta : Quais são os principais pontos de divergência em relação ao projeto do governo?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: A reforma do governo é meramente fiscal. Ela quebra a regra de transição da emenda constitucional 20/98, trabalha na lógica da privatização e da redução do Estado ao propor a previdência complementar. Transfere recursos do Estado e dos trabalhadores para as entidades financeiras. Com isso, vai no sentido contrário da distribuição de renda necessária ao país.

[15:32:59] - Eduardo Nunes Militão ( Repórter- Foco - DF ) pergunta : A previdência é um direito relativamente novo - não tem nem 300 anos. Gostaria que vocês discorresem mais sobre a necessidade de que a previdência seja integral para todos os brasileiros e não apenas um sustento mínimo.

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: A Previdência deve permitir que na hora em que o trabalhador mais precise (velhice, doença, maternidade...) tenha recursos que lhe permitam viver dignamente, proporcionando-lhe a manutenção do padrão de vida mantido durante o seu período laboral.

[15:36:10] - Eduardo Nunes Militão ( Repórter- Foco - DF ) pergunta :

O que seria necessário fazer para todos terem acesso à aposentadoria integral?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: Basta que a Previdência seja gerenciada adequadamente e com responsabilidade, que a sonegação e as fraudes sejam coibidas, que se estanquem as renúncias fiscais, investindo-se na máquina arrecadadora e na cobrança dos débitos previdenciários. Qualquer cálculo atuarial comprova que a contribuição aos níveis atuais, durante 30 a 35 anos, garantem a aposentadoria integral a qualquer trabalhador.

[15:36:56] - Ana Paula Scinocca ( Repórter- Agência Estado - SP ) pergunta : As entidades consideram possível o projeto de reforma vir a ser substituído?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: Sim, estamos nos mobilizando porque acreditamos que é possível resistir a essa reforma.

[15:38:49] - Ana Cristina da Conceição ( Subeditor- Diário de S. Paulo - SP ) pergunta : Não fica mais difícil defender a manutenção das atuais regras quando se vê as histórias de servidores que ganharam na Justiça o direito de receber aposentadorias milionárias?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: Essa é uma questão e que não é resolvida por esta reforma da Previdência. É necessária vontade política para resolver as distorções hoje existentes na Previdência Social tanto na área do serviço público como na previdência do setor privado (veja-se as pensionistas do INSS de Santos).

[15:40:46] - Helvio Borelli ( Gerente- Rádio Trianon AM - SP ) pergunta: O senhores são contra a proposta de reforma da previdência do governo, o senhores têm alguma alternativa, já que a atual está falida?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: A Seguridade Social brasileira é superavítária em 33 bilhões anuais. Basta aplicar os recursos na Saúde, Assistência e Previdência. Além disso, é necessário gerenciar adequadamente a Previdência como já respondemos anteriormente.

[15:43:00] - Adauri Antunes Barbosa ( Repórter- O Globo - RJ - Sucursal SP ) pergunta : Rejeitado o texto, qual seria a proposta das três entidades? Como melhorar a situação do trabalhador e promover a inclusão social dos que estão fora do sistema, por meio da reforma da Previdência?

Revista Consultor Jurídico, 10 de junho de 2003, 18h03

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/06/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.