Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Previdência em pauta

Reforma é atentado contra a Previdência, afirma Reynaldo Puggi.

"A reforma é um atentado contra a Previdência Social do Brasil. É de cunho fiscal, somente retira direitos, não beneficia o trabalhador da iniciativa privada e está centrada na intenção de privatizar a Previdência, agradando o setor financeiro".

A opinião é do presidente do Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal (Sindtten), Reynaldo Puggi, em entrevista coletiva on line no site Comunique-se. A diretora técnica do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal (Unafisco), Izabel Vieira, e o presidente da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Previdência Social (Anfip), Marcelo Oliveira também participaram da coletiva para criticar a reforma proposta pelo governo.

Na quarta-feira (11/6), o funcionalismo fará manifestação pela manhã na Esplanada dos Ministérios. Os sindicatos preparam estudo técnico para ser enviado aos parlamentares com os impactos da proposta do governo. O Sindtten estima que 20 mil servidores participarão do ato de protesto.

PT e reforma

A bancada do PT esteve reunida, nesta terça-feira, para discutir as 160 emendas apresentadas pelos deputados do partido ao texto da Reforma da Previdência, de acordo com a Agência Câmara.

As emendas -- que serão analisadas por tema, em blocos -- tratam do processo de transição das aposentadorias dos servidores atuais, do cálculo de benefícios, da contribuição dos inativos, da alteração da idade mínima, do índice redutor para aposentadoria proporcional e do valor das pensões, entre outros assuntos.

O vice-líder do governo na Câmara, deputado professor Luizinho (SP), disse que o partido não deverá apresentar emendas contrárias ao acordo do presidente da República com os governadores.

Leia a entrevista coletiva

[14:45:35] - Vera Moreira ( MEDIADOR ) FALA COM TODOS :

Boa tarde a todos. Estaremos iniciando a coletiva às 15h. Vocês já podem encaminhar perguntas e a partir do horário marcado os entrevistados

[14:46:53] - Vera Moreira ( MEDIADOR ) FALA COM TODOS :

Daqui a pouco, vamos começar nossa entrevista coletiva sobre as polêmicas do texto da Reforma da Previdência, com o SINDTTEN, UNAFISCO e ANFIP. Direcione suas perguntas ao entrevistado. É possível trocar mensagens em particular com outros jornalistas, mas impossível com algum entrevistado. Comece a mandar suas perguntas.

[15:00:25] - Vera Moreira ( MEDIADOR ) FALA COM TODOS :

A coletiva começará em 5 minutos.

[15:03:29] - Vera Moreira ( MEDIADOR ) FALA COM TODOS :

Os entrevistados de hoje representam o funcionalismo público e participam do Movimento em Defesa da Previdência Social e do Serviço Público, que amanhã realizará manifestação no DF. Reynaldo Puggi - Presidente do Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal (SINDTTEN). Izabel Vieira - Diretora do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (UNAFISCO). Rodrigo Pôssas - Vice-presidente de Comunicação da

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: Rodrigo- Esse argumento é falacioso. O servidor público recebe aposentadoria integral porque ele contribui com 11% sobre a remuneração integral. O ideal seria que toda a sociedade pudesse contar com uma aposentadoria compatível com os rendimentos recebidos na atividade.

[15:13:57] - Eduardo Nunes Militão ( Repórter- Foco - DF ) pergunta : Você acredita que a previdência deve cumprir o papel de dar uma sustento mínimo ao aposentado (ou seja, uma previdência social) ou deve dar sustento total ao trabalhador (como querem os que são contra o teto de contribuição)?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: Izabel- A Previdência no Brasil é contributiva. Portanto, o benefício deve guardar relação com a contribuição. Por isso entendemos que a aposentadoria integral é justa e devia ser acessível a todo o trabalhador.

[15:16:12] - Diva Borges ( Repórter- Diário do Comércio - SP ) pergunta : Qual avaliação/consenso das três entidades sobre o texto da Reforma da Previdência apresentado na Câmara?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: Puggi - A reforma é um atentado contra a Previdência Social do Brasil. É de cunho fiscal, somente retira direitos, não beneficia o trabalhador da iniciativa privada e está centrado na intenção de privatizar a Previdência, agradando o setor financeiro.

[15:18:10] - Adauri Antunes Barbosa ( Repórter- O Globo - RJ - Sucursal SP ) pergunta : Para as três entidades, o projeto de reforma do governo pode ser emendado ou totalmente substituído?

Sindtten, UNAFISCO e ANFIP responde: As três entidades entendem que o texto deve ser rejeitado como um todo. Aceitamos discutir uma reforma previdenciária voltada para melhorar a situação do trabalhador brasileiro e que promova inclusão social dos trabalhadores que estão fora do sistema.

[15:20:39] - Diva Borges ( Repórter- Diário do Comércio - SP ) pergunta : Como será esta manifestação amanhã, em Brasilia. Local, horario, forma ...

Revista Consultor Jurídico, 10 de junho de 2003, 18h03

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/06/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.