Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mais danos

Chuvas causam transtorno no prédio do TRT do Rio de Janeiro

As chuvas do fim de semana causaram um transtorno extra aos usuários da Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro. Os jurisdicionados, que já enfrentam há mais de um ano as conseqüências do incêndio ocorrido no Tribunal Regional do Trabalho do Rio, tiveram suas atividades prejudicadas por um alagamento que atingiu secretarias, salas de audiência, corredores e elevadores do prédio.

Houve acúmulo de água em função das obras que estão sendo feitas no terraço de prédio. Segundo os técnicos, a empresa responsável pelas obras reduziu para apenas duas saídas o escoamento da água da chuva, o que sobrecarregou a tubulação do Tribunal.

A 6ª e a 7ª Vara do Trabalho do Fórum Ministro Arnaldo Sussekind foram bastante afetadas pelo vazamento. Como os reparos ainda não foram feitos e não há verbas para sua viabilização, a estrutura está exposta a adversidades. "Por sorte a água não atingiu as áreas da secretaria em que os processos ficam arquivados", afirmaram os funcionários. Não houve suspensão de prazos, nem de audiências e a segurança do prédio foi reforçada.

O maior transtorno aos jurisdicionados e aos funcionários do TRT-RJ foi a inundação do poço dos elevadores. Usados diariamente por milhares de pessoas, os cinco elevadores foram paralisados, inspecionados e água foi drenada, para evitar o risco de curto circuito.

"Infelizmente, tudo isso ainda é conseqüência do incêndio e das obras ainda não concluídas. O prédio, sem acabamento e proteção, fica fragilizado", afirmou o presidente do TRT do Rio, juiz Nelson Tomaz Braga. (TRT-RJ)

Revista Consultor Jurídico, 10 de junho de 2003, 12h54

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/06/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.