Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Crime inafiançável

Comissão da Câmara pede investigação de website racista

A Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Minorias aprovou requerimento do deputado Pastor Reinaldo (PTB-RS), que solicita investigação do site Imperial Klans of Brazil por parte da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do Ministério da Justiça. O conteúdo da página na Internet é redigido e organizado por integrantes da seita cristã Ku Klux Klan, defensora do racismo. O autor da proposta afirma que o site está promovendo uma "campanha criminosa contra as demais raças que não seja a branca".

Na abertura do site, seus idealizadores se intitulam, em inglês, Cavaleiros da Ku Klux Klan (Knights of the Ku Klux Klan). A página da Internet é introduzida com os seguintes dizeres: "Nós, do Imperial Klans of Brazil, somos parte de uma organização totalmente legal que está a procura de homens e mulheres especiais. Alguém que colabore e lute conosco para um futuro melhor com Cristo e nossa Raça em uma Grande Nação. Homens e Mulheres que tenham coragem e princípios, que defendam o que acreditam mesmo quando a situação está difícil. Nós queremos pessoas que não tenham medo de falar o que suas mentes pensam sobre o que está acontecendo de errado em nosso país. Nós queremos aqueles que levantem e lutem pelo futuro de nossa raça, que defendam nossa fé e respeitem nossa sociedade. Nós não aceitaremos usuários de drogas, pessoas que abusam de crianças e que tenham uma personalidade incorreta em nossa sociedade. Nossa proposta é de unir, organizar e educar a grande Raça Branca em todo o mundo contra os perigos contra nossa Raça, Cultura e a Religião Cristã".

Apesar de os integrantes do grupo afirmarem que fazem parte de uma "organização totalmente legal", o racismo é crime inafiançável e imprescritível no Brasil, sujeito a pena de até cinco anos de reclusão.

Fonte: Agência Câmara.

Revista Consultor Jurídico, 9 de junho de 2003, 18h36

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 17/06/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.