Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Em pauta

Rio de Janeiro sedia evento de empresas do setor de energia

O Rio de Janeiro sediará, entre terça (29/7) e quinta-feira (31/7), a quarta edição do evento Energy Summit 2003. Organizado pelo International Business Communications (IBC), o evento visa buscar soluções para o setor, com troca de experiências para viabilizar investimentos e alternativas para o equilíbrio financeiro da área de energia.

O escritório Trench, Rossi e Watanabe Advogados participa do painel "O arcabouço regulatório do setor elétrico e o ambiente jurídico determinante às mudanças normativas", nesta terça-feira (29/7).

Os principais tópicos discutidos no painel serão a evolução para definição do arcabouço normativo, as principais alterações no papel e os limites regulatórios para as principais agências do setor, além dos limites de impostos com os contratos de concessão e iniciais.

O evento destina-se aos presidentes, diretores, gerentes e superintendentes das empresas de energia e gás natural, responsáveis pelo desenvolvimento de negócios e planejamento estratégico. É destinado também aos chefes de áreas comerciais, jurídicas e fiscais que assessoram os mais variados projetos de energia.

Segundo José Roberto Martins, sócio do Trench, Rossi e Watanabe Advogados, o mercado de energia é uma das prioridades para o governo federal e passa por uma reforma estrutural. Com isso, segundo ele, há grande necessidade de debates sobre as questões jurídicas para que não haja distorções futuras. (Item Comunicação)

Revista Consultor Jurídico, 28 de julho de 2003, 15h03

Comentários de leitores

1 comentário

Infelizmente o setor de energia não recebe a at...

Rodrigo Laranjo ()

Infelizmente o setor de energia não recebe a atenção que deveria receber do governo. Este setor influencia diretamente "nosso bolso" e não tem uma concorrência que controle automaticamente as políticas de comercialização de energia. É como as empresas de telecomunicações e de saneamento. Existe concorrências, mas praticamente não existe. E quem paga o custo disso somos nós. www.wibs.com.br

Comentários encerrados em 05/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.