Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Futebol eletrônico

Cientistas querem construir robôs para jogar futebol contra humanos

Por 

A Robocup é uma associação científica internacional que tem por objetivo desenvolver a robótica e a inteligência artificial através de competições tecnológicas e eventos científicos. Anualmente, ela organiza um grande evento, com debates acadêmicos de alto nível e campeonatos de futebol de robôs. É um dos eventos mais importantes do mundo contemporâneo, pois concentra competições altamente emocionantes e equilibradas junto com conferências de vanguarda. Alem disso, também é um grande fórum de integração social, cultural e política, pois congrega representantes de todas as partes do mundo, dos EUA à China, passando pela Holanda, Japão, Irã e Tailândia, assim como das nações tradicionais Européias, como França, Alemanha, Inglaterra e Suíça.

A edição de 2003 foi realizada no início desse mês de julho, em Pádua, na Itália, uma cidade cheia de charme e história, e contou com a participação de pesquisadores e competidores das melhores universidades do mundo. Além das universidades, importantes empresas e instituições também estavam presentes, como Nasa, Sony, Honda, Comau, Alitalia, SGI, KBC, EK Japan, Zenrin, Aplexa, Omega e Giplanet, entre outras.

O Brasil esteve presente com representantes do Ijuris (Instituto Jurídico de Inteligência e Sistemas), e da empresa Web Intelligence Systems S.A., nas pessoas do autor deste texto e de Tânia Cristina Bueno, Msc.

As competições são futebol e resgate, reais e simuladas. No futebol, existem cinco categorias:

-- Soccer Simulator (simulação);

-- Small Size (pequenos robôs quadrados);

-- Middle Size (robôs do tamanho de uma cadeira);

-- Aibo (cachorrinhos);

-- Humanoid League

No resgate, existem duas categorias:

-- Real rescue;

-- Simulation rescue.

As competições de futebol foram altamente emocionantes, e atraíram muita atenção do publico. As finais foram dignas dos melhores cardiologistas internacionais. Na categoria Soccer Simulator, o time da Holanda derrotou a China por 4X3, com uma surpreendente virada (perdia de 3X1). Na Small Size, 0X0 no tempo normal entre EUA e Austrália, com vitória dos americanos na morte súbita. Middle Size, o Japão ficou com o titulo e o vice, em um clássico nipônico com muitos gols (6X3), e na categoria Aibo deu a Austrália, que venceu o time americano com certa facilidade.

A categoria Aibo desperta especial atenção do público, e seus jogos sempre tinham uma boa assistência. O motivo é que os times são compostos por quatro cachorrinhos totalmente autônomos, que se comportam como verdadeiros seres vivos, tomam todas as decisões sozinhos e, de quebra, são muito simpáticos. Os cachorros-robôs passam e chutam, arrancando expressões da torcida, como longos "ooohh", "uuuhhh", e muitas palmas.

A missão brasileira teve três objetivos:

1) participar das conferências e acontecimentos científicos, através da presença oficial no Robocup Symposium 2003 e nos workshops internos;

2) realizar o procedimento de Leitura Tática dos jogos (categoria Aibo), inovador no âmbito da Robocup;

3) preparar o terreno para que novos times do Brasil participem das competições nas próximas edições.

Na atividade de leitura tática, foram obtidas importantes informações sobre o comportamento dos times, a exemplo do que acontece no futebol real, e também sobre o comportamento dos robôs. Essa atividade é importante para o futuro da competição e também para o aprimoramento do comportamento inteligente dos autônomos. Em breve serão relatados os resultados oficiais da Leitura Tática realizada pelos brasileiros.

No âmbito científico, a Robocup é um "mega evento", com um simpósio central, uma feira internacional, cinco workshops e um seminário, todos tratando de diversos assuntos ligados ao desenvolvimento da robótica e da inteligência artificial, preferencialmente com aplicações em competições e atividades de resgate. A edição de 2003 contou com 3.500 pesquisadores/competidores inscritos, dos quais aproximadamente 1.500 eram Doutores ou PhDs, transformando o encontro em uma das maiores concentrações de super-cérebros de todo o mundo.

Um importante exemplo foi a participação da Nasa/Ames, mais especificamente no workshop "Robótica versus Inteligência Artificial", onde a instituição apresentou os projetos e robôs que participam das missões de exploração de Marte, totalmente baseados em conceitos de autonomia.

Importante registrar que a sessão de abertura do Simpósio central foi realizada no Salão Magno da Universidade de Pádua, a segunda mais antiga da Europa, na mesma sala onde Galileu Galilei ministrava suas aulas.

O principal objetivo da Robocup é construir um time de robôs que vença o time humano campeão mundial no ano de 2050. Por essa razão, existe uma grande expectativa da comunidade científica sobre uma participação mais efetiva do Brasil, que já participou de competições anteriores. Diante dos resultados que nosso País detém em todas as categorias do futebol, os pesquisadores internacionais sabem de duas coisas: 1) existe uma grande chance de que o time a ser enfrentado em 2050 seja o Brasil; 2) quando o Brasil decidir participar de forma intensa, a história da competição pode mudar de rumo.

No âmbito do Governo Eletrônico e da Sociedade da Informação, existe uma série de conceitos e aplicações de grande utilidade, desde o resgate de feridos em acidentes e terremotos, até a administração tecnológica do trânsito em metrópoles e rodovias, passando por soluções inovadoras para questões como a coleta e tratamento de lixo, distribuição de água, controle alimentar, e também, a manutenção da soberania externa, através de aplicações militares.

Veja aqui fotos da delegação brasileira no Robocup Symposium 2003.

 post doc em governo eletrônico professor da UFSC. É também ex-secretario de Geração de Oportunidades de Florianópolis. Especialista em Informática Jurídica, doutor em Inteligência Aplicada e pós-doutor em Governo Eletrônico. Ex-Promotor de Justiça e ex-Procurador da Fazenda Nacional.

Revista Consultor Jurídico, 28 de julho de 2003, 19h28

Comentários de leitores

1 comentário

Ótimo... Só falta agora colocarmos robôs para ...

João Manuel Grilo Carnide ()

Ótimo... Só falta agora colocarmos robôs para julgar processos... Estes pelo menos são mais rápidos e não fazem greve...

Comentários encerrados em 05/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.