Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Aperto eleitoral

'Pressão' de pré-candidatos ao comando da OAB-SP é repudiada

O vice-presidente da OAB paulista, Orlando Maluf Haddad, mandou mensagem pela Internet para conselheiros e diretores de subsecções repudiando supostas pressões de pré-candidatos ao comando da Seccional, nesta quinta-feira (17/7).

Haddad, que também é pré-candidato, afirma ter recebido reclamações de seis ou sete conselheiros, que teriam sido pressionados para apoiar determinados nomes. A OAB-SP tem 60 conselheiros titulares, 30 suplentes e 1.025 diretores de subseções.

"Não quero culpar nenhum candidato. Quero acabar com a pressão e garantir a liberdade dos conselheiros para apoiar quem eles quiserem. Eles já estão constrangidos por terem de escolher entre seis nomes, não podem ser pressionados", disse o pré-candidato.

Leia a mensagem de Haddad:

Eleições na OAB/SP.

Deplorável é a desavergonhada pressão que muitos Conselheiros, Diretores de Subsecções e Integrantes de Comissões vêm recebendo para, "espontaneamente", apoiar determinado candidato.

Enquanto lutamos para acabar com o constrangimento causado pelo pluralismo de candidatos situacionistas, chefetes de bravata ocasional pretendem impressionar lideranças à custa de ameaças políticas que só resultam em êxito quando as vaidades pessoais e o temor reverencial suplantam o verdadeiro sentido que nos deve aglutinar, qual seja o benefício dos advogados e da advocacia, despojado de quaisquer outros interesses.

Aos que se curvam a tais pressões, o repúdio e desencanto de quem esperava atitudes óbvias de dignidade, independência e brio que pudessem justificar o cargo importante que hoje ocupam.

De outra face, não há espaço para a pusilanimidade na legítima representação da advocacia paulista.

É, portanto, de vital importância se conclamar os colegas a expressarem convicções com fidelidade à própria consciência, ainda que forçosamente se desagrade a nós, candidatos, quando não somos os escolhidos.

A classe vai respeitar quem assim agir, quem repelir as odiosas pressões.

É a vocação natural de um(a) verdadeiro(a) advogado(a).

Orlando Maluf Haddad

Revista Consultor Jurídico, 17 de julho de 2003, 18h27

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 25/07/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.