Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

'Operação câmbio'

Polícia prende supostos envolvidos com lavagem de dinheiro em PE

Após oito meses de investigação sigilosa, a Polícia Federal, em ação conjunta com o Ministério Público Federal e a Justiça Federal deflagrou, na última quinta-feira (13/2), a Operação Câmbio.

O objetivo do trabalho é reprimir um forte esquema de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e crimes contra o sistema financeiro nacional, tendo como alvo principal à empresa Norte Câmbio e Turismo Ltda, de Pernambuco.

Segundo a revista da IstoÉ de 28 de novembro de 2002, a Norte Câmbio funciona na mesma sede e com os mesmos funcionários da empresa Anacor. A mesma reportagem afirma que a Anacor foi utilizada muito tempo para lavar dinheiro desviado pelo Estado de Pernambuco no esquema dos precatórios em 1998.

Na ação realizada na última quinta, três pessoas foram detidas e levadas para prestar depoimento na sede da PF em Recife. A operação contou com a participação de 50 policiais da polícia de Pernambuco, da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

Com seis mandados de busca e apreensão cumpridos, os agentes prenderam um dos proprietários da firma, Manoel Eleutério Cal Muiños, mais conhecido como Manolo, e duas funcionárias. Os policiais apreenderam ainda 17 computadores, R$ 236 mil em dinheiro e grande quantidade de moedas estrangeiras.

Conforme denúncia feita por Alexandre Magero de Araújo, um ex-funcionário da empresa, a Anacor era usada para intermediar remessas irregulares de dinheiro para o exterior.

De acordo com a PF, pelo menos dez pessoas ligadas à Norte Câmbio, entre funcionários, gerentes e sócios, devem ter envolvimento no esquema de fraudes. "Ainda não temos muitos detalhes da operação, mas sabemos que existe muito dinheiro envolvido", informou o Superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, Wilson Damázio.

Nas buscas realizadas na tarde de ontem, os policiais vasculharam quatro lojas da Norte Câmbio e dois apartamentos, em Boa Viagem (RE). Computadores, dinheiro e alguns documentos foram localizados nos seis endereços.

Segundo Wilson Damázio, um perito vindo da Polícia Federal de Fortaleza, no Ceará, especialista em decifrar códigos na área de informática, auxiliará nas investigações. (MP-PE)

Revista Consultor Jurídico, 14 de fevereiro de 2003, 11h37

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 22/02/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.