Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Atentado em PE

Conselho Indigenista Missionário denuncia chacina contra xukurus

De acordo com o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), a tribo Xukuru foi vítima de mais um atentado, na semana passada, no município de Pesqueira (PE). Dois índios morreram e o Cacique Marcos, principal alvo da emboscada, ficou gravemente ferido.

Segundo o Cimi, um grupo de pistoleiros ligados a fazendeiros da região teria aguardado o caminhão guiado pelo Cacique Marcos na estrada. Uma boiada teria sido solta propositalmente pelos pistoleiros com o intuito de parar o carro. Em seguida, três homens surgiram atirando.

Um dos índios assassinados, Joseilson José dos Santos, era do povo Atikum, localizado em Carnaubeira da Penha (PE). O outro era o xukuru José Adimilson Barbosa da Silva. O Cacique Marcos foi levado para o hospital em Pesqueira e recebendo alta no mesmo dia.

Um dos pistoleiros teria sido identificado pelas vítimas como o Louro Frazão, conhecido na região por trabalhar para os fazendeiros e manter ligações com um índio xukuru que é "testa-de-ferro" dos latifundiários. Frazão já havia ameaçado de morte o Cacique Marcos, informa o Cimi.

Até o início da noite do atentado, a Polícia Federal não havia chegado ao local do crime. Os próprios índios se organizaram e saíram à procura dos agressores. Na perseguição, mais quatro índios foram feridos pelos pistoleiros e dois deles ficaram em estado grave.

Segundo o Cimi, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tomou conhecimento do caso, pediu um relatório completo ao ministro da Justiça e que o secretário Nacional dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda, a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Raquel Dodge, o presidente da Funai, Eduardo Almeida e o assessor do Ministério da Justiça para assuntos indígenas, Cláudio Luiz Beirão fossem a Pesqueira.

Histórico

Nos últimos dez anos já ocorreram seis assassinatos em conseqüência do conflito pela posse da terra dos Xukuru e todos os crimes permanecem impunes, de acordo com o Cimi. Entre os mortos, estão Cacique Xicão, Chico Quelé, José Everaldo Bispo e o advogado Geraldo Rolim.

"O Estado brasileiro é o principal responsável pelos crimes, por não ter solucionado o problema da demarcação da terra Xukuru. Apesar de homologada, a área encontra-se totalmente invadida, sendo motivo de conflitos freqüentes. Dos 27.500 hectares, apenas 30% encontram-se em posse do povo Xukuru", afirma o Cimi.

Revista Consultor Jurídico, 10 de fevereiro de 2003, 15h36

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/02/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.