Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Notas suspeitas

Denarc prende dono da Lousano por suposta sonegação fiscal

O dono da Lousano Indústria de Condutores Elétricos, Pascoal Grassioto, e mais sete pessoas, incluindo os diretores financeiros da empresa Francisco Xavier Gonçalves e Roberto Pinto, estão presos no Departamento de Investigações Sobre Narcóticos (Denarc), sob acusação de sonegação fiscal e formação de quadrilha. A prisão foi feita nesta quinta-feira (23/4).

De acordo com o Denarc, cinco mil notas fiscais frias, dublês de notas verdadeiras, foram apreendidas pelas equipes do delegado divisionário Everardo Tanganelli.

O dono da Lousano, empresa com 40 anos no mercado, afirmou

desconhecer qualquer esquema de notas frias envolvendo a empresa. "Estou surpreso", declarou. Segundo ele, a empresa deve R$ 30 milhões e está em concordada há cinco anos.

A operação de desmonte do esquema começou com a prisão do consultor Benedito Soares de Oliveira, suspeito de envolvimento com tráfico de drogas. Interrogado, Oliveira revelou o endereço da gráfica que imprimia as notas. Em blitz na empresa, no início da tarde, milhares de notas fiscais em nome da Lousano foram encontradas.

O dono da gráfica, Rogério de Freitas, o consultor Luiz Motoki, o auxiliar contábil Wilson Aparecido Moreno e o consultor Moisés Messias Rodrigues, foram presos na sede da empresa.

Dezenas de caixas de documentos foram apreendidos na operação, que contou com o apoio de policiais da Delegacia Fazendária, para onde deve ser encaminhado o material apreendido. Segundo as investigações, Moisés Rodrigues era responsável por introduzir as notas frias na Lousano, mantendo contato com o diretor Francisco Xavier.

Revista Consultor Jurídico, 23 de abril de 2003, 21h08

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 01/05/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.