Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ingresso barrado

Força Aérea: reprovado em teste psicológico não ingressa em curso.

A Advocacia-Geral da União, no Distrito Federal, conseguiu impedir o ingresso de um candidato no Curso de Formação de Cabos da Força Aérea (CFC/2003). O pedido da União foi acatado pelo Tribunal Regional Federal 1ª Região (DF). Ainda cabe recurso.

O candidato havia sido reprovado no exame de aptidão psicológica, mas obteve uma liminar para participar do curso, na ação cautelar apresentada na 1ª Vara da Seção Judiciária de Minas Gerais (MG).

O relator do processo, juiz Tourinho Neto, cassou a liminar e deferiu efeito suspensivo ao agravo de instrumento apresentado pela AGU. Ele concordou com os argumentos da AGU de que o candidato foi reprovado no exame de aptidão psicológica, apesar de ter sido aprovado nas provas de escolaridade do Concurso de Admissão ao CFC.

Outro argumento acolhido é o de que o profissional militar é um cidadão com aptidões específicas, de perfil profissional diferenciado, preparado tanto para a paz como para o confronto. Por isso, existe o rigoroso critério de seleção adotado pelo Comando da Aeronáutica, que procura o homem equilibrado, dentro de determinados parâmetros, para compor suas fileiras. (AGU)

Revista Consultor Jurídico, 17 de abril de 2003.

Revista Consultor Jurídico, 17 de abril de 2003, 8h52

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 25/04/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.