Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Modernização

Nilson Naves visita TJ-PR e fala da informatização dos tribunais

A informatização e modernização dos tribunais foram as formas encontradas pelo Judiciário para garantir a agilidade da Justiça, enquanto não for aprovada a Reforma que tramita no Senado Federal. A afirmação foi feita pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, desembargador Vicente Troiano Neto, no plenário daquela corte, ao receber a visita hoje (25) do presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Nilson Naves, acompanhado dos ministros Milton Luiz Pereira e Vicente Leal e dos presidentes dos TRFs da 1ª Região, desembargador Catão Alves, e da 4ª Região, desembargador Teori Zavascki.

Troiano Netto suspendeu sessão do Órgão Especial para receber no plenário do Tribunal os visitantes, que se encontram em Curitiba para a inauguração do Fórum da Justiça Federal. O presidente do TJ-PR lembrou que na abertura do 58º Encontro do Colégio Permanente de Presidente de Tribunais de Justiça do Brasil, ocorrido há três semanas em Belém, o ministro Nilson Naves mostrou que a marca de sua administração no STJ será a modernização do tribunal. Na oportunidade, Naves apresentou os avanços obtidos pelo STJ com o lançamento da Revista Eletrônica de Jurisprudência e do Malote Digital, mostrando que esse era um dos caminhos que a justiça poderia percorrer para melhorar a sua prestação de serviços.

O presidente do TJ do Paraná disse hoje, que estava satisfeito em ver que os esforços realizados em seu tribunal seguia a mesma orientação que vem sendo dada pelo presidente do Superior Tribunal. Segundo Troiano Neto, a justiça paranaense já conta com um parque de cerca de 3,5 mil computadores, "todas as salas de audiência e todos os magistrados do estado já dispõem hoje de computadores", afirmou o desembargador.

Troiano disse ainda que na região da Grande Curitiba, a 10ª Vara Criminal já está dotada de equipamentos para gravação de áudio e vídeo o que permite aos juízes rever os julgamentos. Futuramente deverá ser instalado equipamento para vídeo-conferência, permitindo que os réus que se encontram presos prestem depoimentos sem sair das penitenciárias.

Os avanços tecnológicos, no entanto, esbarram na falta de recursos do Poder Judiciário. De acordo com o desembargador Telmo Cherem, que fez a saudação ao presidente do STJ durante o encontro com o Órgão Especial daquela corte, sobra boa vontade ao judiciário paranaense, mas faltam recursos financeiros e humanos. O desembargador lembrou que há quatro legislaturas, o Judiciário do estado tenta aprovar um projeto que visa a melhoria e ampliação dos recursos para a 1ª instância, sem sucesso. Telmo Cherem, no entanto, ressaltou que deve-se destacar a atuação do STJ nas discussões em torno da Reforma do Judiciário. Segundo ele, o Superior Tribunal tem estado a frente das discussões e é hoje o maior defensor dessas reformas.

Revista Consultor Jurídico, 25 de outubro de 2002, 20h43

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 02/11/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.