Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

No altar

Justiça devolve peças roubadas de Igreja do Rio de Janeiro

O corregedor-geral da Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Paulo Gomes da Silva Filho, devolverá nesta quarta-feira (9/10) diversas peças sacras ao padre Paulo de Oliveira Reis, da Igreja Nossa Senhora do Pilar, da Comarca de Duque de Caxias, que haviam sido roubadas do seu altar.

As peças, de grande valor histórico e patrimonial, estavam acauteladas no Depósito Público do Estado, desde 1979, e iriam a leilão. A cerimônia de entrega será no gabinete do corregedor.

As peças sacras faziam parte de um lote de bens e estavam vinculadas ao processo criminal da 2º Vara Criminal de Duque de Caxias. O referido lote foi enviado ao Depósito Público, em 16 de agosto de 1979 e ficou acautelado por 24 anos. Ao tomar conhecimento do fato, a juíza auxiliar da Corregedoria, Cristina Tereza Gaulia, determinou que as peças fossem avaliadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Após pesquisa e avaliação de museólogos e historiadores do Instituto,

constatou-se o elevado valor histórico-artístico das peças, que são de

estilo barroco e pertencem ao acervo cultural de arte sacra. Também foi identificado o local de origem das peças - Igreja Nossa Senhora do Pilar, templo religioso construído no início do século XX, de rara beleza arquitetônica.

A corregedoria decidiu então que as peças não serão mais leiloadas e sim reincorporadas ao acervo original para restauração, já que estão em estado precário de conservação. São elas: duas asas esculpidas em madeira com pintura dourada e cinza, um penacho trabalhado em madeira pintada nas cores cinza e dourada; duas misolas de madeira em fundo verde com bordados dourados e rostos de anjos barrocos; duas talhas de madeira representando ramos de oliveira, pintadas de dourado e duas talhas de flores em madeira, pintadas na cor dourada.

Revista Consultor Jurídico, 9 de outubro de 2002, 10h09

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 17/10/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.