Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Compra de voto

Corregedor eleitoral proíbe saque superior a R$ 10 mil no Acre

O corregedor regional eleitoral do Acre, juiz federal Pedro Francisco da Silva, concedeu liminar parcialmente favorável ao Ministério Público Eleitoral do Acre. O juiz aceitou o pedido e estipulou o limite de saque em R$ 10 mil por cliente.

O MP, através do procurador regional eleitoral no Acre, Marcus Vinícius Aguiar Macedo, entrou com Ação Cautelar Preparatória de Investigação Judicial Eleitoral para impedir que as agências bancárias do Estado autorizassem saques superiores a R$ 5 mil nesta quinta-feira (3/10) e sexta-feira (4/10). O MP quer evitar a "compra de votos".

Em sua decisão, o juiz determinou que fossem informados os nomes das pessoas físicas e jurídicas que fizeram saques diários, em dinheiro, a partir do dia 23/9. Ele disse aprovar os procedimentos de investigação do MP para "preservar o processo eleitoral de qualquer ação danosa que constitua captação de sufrágio, vedado por lei".

Revista Consultor Jurídico, 3 de outubro de 2002, 20h39

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 11/10/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.