Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Insegurança geral

Approbato repudia execução de advogado em Mato Grosso

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Rubens Approbato Machado, afirmou que “o Brasil está prisioneiro do terror e do crime organizado”. A OAB divulgou nota, nesta terça-feira (1/10), para criticar o clima de terror criado pelos traficantes, segunda-feira, no Rio de Janeiro e o assassinato do advogado e empresário, Sávio Brandão, dono do jornal Folha do Estado, em Cuiabá (MT).

Approbato deve se encontrar com o ministro da Justiça, Paulo de Tarso Ribeiro, e se reunirá com o presidente da OAB de Mato Grosso, Ussiel Tavares.

Ele anunciou que a Ordem dos Advogados vai iniciar um movimento de reação da sociedade para cobrar do governo uma ação mais efetiva de combate à violência.

Leia a nota divulgada pela OAB:

Dois fatos marcantes ocorridos ontem em locais distintos são reveladores da violência que está levando o Brasil ao caminho da barbárie: o toque de recolher imposto por traficantes no Rio de Janeiro e o assassinato, a sangue frio, do advogado e empresário Sávio Brandão, em Cuiabá, no Mato Grosso.

No primeiro caso, trata-se da falência do Estado, quando o poder paralelo deixa de ser paralelo para se transformar no poder de fato. A população, refém do medo, viu o comércio e repartições fecharem as portas diante da impotência das autoridades. Lamentável constatar que chegamos a um estado de anomia, em que a voz da autoridade não é ouvida, a determinação não é levada a cabo, as leis não são cumpridas e o aparato policial fenece, por desorganização e desintegração dos corpos policiais, entre os quais alguns se ligam ao próprio aparelho do crime.

Não apenas o Rio de Janeiro, mas o Brasil está seqüestrado pela violência indiscriminada.

O caso do assassinato do empresário Sávio Brandão, proprietário do jornal Folha do Estado, não é diferente. É conhecida a luta do empresário contra o crime organizado e as constantes denúncias contra bandidos que controlam o jogo clandestino em Cuiabá.

A brutalidade desse crime leva o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil a lançar mais um alerta à Nação. Como ressaltou em nota oficial o presidente da Seccional da OAB de Mato Grosso, Ussiel Tavares, embora o combate ao crime passe pela vontade política dos governantes, a história tem mostrado que está na sociedade a grande força transformadora.

“A união de todos, exigindo uma atuação rigorosa das autoridades e denunciando as omissões, é a única alternativa para extirpar de vez o câncer da indústria do crime que se alastra por todo o País.”

As eleições de 6 de outubro chegam também no momento em que o Brasil chega ao pico da montanha da violência. Não podemos mais admitir que as autoridades sejam afetadas em sua sensibilidade apenas quando ocorrem crimes de alto impacto. A palavra de ordem, agora, é coragem para mudar. Uma mudança que contemple os valores do respeito à ordem e à lei, da ética e da honestidade de propósitos, do combate às práticas ilícitas, sejam quais forem as suas dimensões.

Não podemos esperar mais. A Ordem dos Advogados do Brasil conclama a sociedade civil a mobilizar suas forças, desde já, para exigir dos poderes públicos um plano enérgico e duradouro de combate à criminalidade generalizada que está jogando o País nos caminhos mais retrógrados da barbárie.

Revista Consultor Jurídico, 1 de outubro de 2002, 13h54

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 09/10/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.