Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Crise na advocacia

Momento é propício para sociedades investirem em marca jurídica

"O meio de combater uma idéia é lançar uma idéia ao seu encontro uma idéia melhor. Nunca no mundo uma bala matou uma idéia."

Monteiro Lobato

Você está passando por uma crise? A área financeira se agrava e os clientes estão desaparecendo como uma fonte seca? Embora existam todas essas preocupações, é sempre a mesma coisa, basta começar a vislumbrar um cenário desfavorável e todos se recolhem, ficam aguardando para ver no que é que vai dar.

Ora, se todos estão aguardando, então nada vai acontecer e este raciocínio simplista é válido também para as sociedades de advogados. Não existe melhor hora de investir em marca que durante uma crise prolongada, pois como a maioria entende que a comunicação é gasto e não investimento, acaba por ficar inerte.

De maneira semelhante podemos traçar um comparativo na mitologia grega como Sísifo. Ele encarnava a astúcia e a rebeldia do homem frente aos desígnios divinos. Sua audácia, no entanto, motivou exemplar castigo de Zeus, que o condenou a empurrar eternamente, ladeira acima, uma pedra que rolava ao atingir o topo da colina, começando tudo de novo, ciclicamente, conforme se narra na Odisséia. Ou seja, devemos nos antecipar às tendências, contestar o discurso vigente e comum, para que sua marca pessoal fique registrada na mente das pessoas.

Assim, a sociedade de advogados que passa a desenvolver uma série de ações comunicacionais éticas de posicionamento pode começar o ano de 2003 em condições mais favoráveis. Entre elas, a internet deve ser usada como apoio em todas as iniciativas de marketing como, por exemplo, o desenvolvimento de parcerias com sites, a publicação de artigos, divulgação de cursos e eventos, tudo focado em seu público-alvo. Afinal, o que é uma marca Jurídica e por que ela é tão importante?

A marca é o principal componente da imagem corporativa de uma empresa. Ela é capaz de tornar tangível para o consumidor as idéias, a filosofia e os objetivos de uma determinada sociedade de advogados, reunindo e representando suas características. Ela é, também, um importante aval de qualidade e competência dos produtos ou serviços que representa. Quando na década de oitenta houve a passagem da era da produção para uma percepção e estudo mais apurado das marcas, atribuindo a elas valores emocionais e estilo de vida, tudo mudou.

Simplesmente a publicidade aproveitou-se deste momento histórico e intensificou a idéia que uma empresa precisa investir continuamente em marca, cercando o seu público-alvo de todas as maneiras possíveis. Este mesmo processo de transformação começou na esfera jurídica em 1998, e mais recentemente, com as teorias sobre marketing jurídico.

A competição é mais feroz e inteligente que no passado. O poder das marcas nas sociedades de advogados é cada vez mais visível. É possível criar nesse ambiente caótico uma chance oportuna para os visionários. Quem ficar parado poderá perder seus clientes para a concorrência e depois não adianta reclamar.

A verdade é que o mercado está muito disputado e se você não prioriza a modernização da alta gestão, qualidade dos serviços e principalmente na comunicação, ficará para trás. Afinal, a marca é o único ativo de uma empresa que se perpetua ao longo de sua existência, além de representar o capital intelectual, ela é o seu maior patrimônio.

Oito motivos para você implementar ações em comunicação para 2003

- Necessidade em ampliar a base de clientes;

- Planejamento e expansão para mercados menos competitivos;

- Redução da dependência em ficar aguardando o cliente cair do céu;

- Criação de um novo canal de contato, gerando negócios;

- Desenvolvimento de várias estratégias simultâneas de marketing jurídico;

- Atingir novos segmentos de clientes;

- Melhorar os sistemas atuais de qualidade interna;

- Desenvolver um relacionamento emocional e diferenciado com os clientes.

O que é absolutamente claro, entretanto, é que forças poderosas estão correndo juntas para alterar o caráter social - despertar certos traços, suprimir outros e, no ato, transformar-nos a todos. Uma das maneiras de romper através da escuridão é olhar além das tecnologias, idéias pessimistas e políticas individuais para os princípios que se escondem por baixo delas. Em uma época de mudança explosiva com vidas pessoais despedaçadas, a ordem social existente se fragmentando, cabe a reflexão e, principalmente, elaborar as maiores que se possam fazer sobre o nosso futuro. Não é apenas uma questão de curiosidade intelectual. É pura sobrevivência em uma ordem social darwiniana.

Perceba a mudança de paradigma, a cultura universal e os grandes movimentos espiritualistas que estão se manifestando. As reformas estão ocorrendo não somente nas leis, tecnologias e similares, mas acima de tudo, no espírito do ser humano. Quem ficar inerte, preso a conceitos ultrapassados, ainda mais em uma área competitiva como a advocacia, tende a desaparecer. Se o caos serve para despertar, então, que seja bem-vinda a crise.

Revista Consultor Jurídico, 29 de novembro de 2002, 16h13

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 07/12/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.