Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Noblat ensina

Noblat lança o livro 'A arte de fazer um jornal diário'

O jornalista Ricardo Noblat lança o livro "A arte de fazer um jornal diário", em Recife (PE), nesta quinta-feira (21/11), às 19h, na Kriterion Livro - Shopping Sítio da Trindade. A obra é uma aula para jornalistas e estudantes. O texto é leve e bem-humorado.

No Rio de Janeiro, a obra de oito capítulos será lançada no dia 3 de dezembro, às 19h30, na Livraria Travessa - rua Visconde de Pirajá 572, Ipanema. Em São Paulo, o lançamento acontece no dia 10 de dezembro, às 19h, na livraria Siciliano - Shopping Pátio Higienópolis - av Higienópolis 618; Piso Higienópolis.

Noblat é nascido e formado em Pernambuco. Na obra, utilizou seus 35 anos de experiência no jornalismo impresso para tratar da crise que atinge os jornais no mundo, fazer reflexões sobre ética, valores e princípios do jornalismo e ainda ensinar um pouco sobre "a arte de apurar informações".

Jornalistas e estudantes terão a oportunidade de aprender um pouco sobre edição, cultura visual, jornalismo de opinião e de interpretação, jornalismo de antecipação e as armadilhas a que os jornalistas estão sujeitos. A história da reforma do Correio Braziliense e as datas importantes para a imprensa também constam na obra. Noblat trata ainda da morte de Tim Lopes no livro.

O autor diz estar convencido que "donos de jornal e jornalistas compartilham o firme propósito de acabar com os jornais. Ou então são burros". Segundo ele, jornalistas e donos de jornais "parece terem firmado uma santa aliança para acabar com os jornais. Os donos porque administram mal as empresas; os jornalistas porque insistem com um modelo de jornal que desagrada às pessoas".

No capítulo que trata das armadilhas no jornalismo, o autor afirma que "por circularem na companhia de figuras públicas, freqüentarem ambientes onde são tomadas decisões e publicarem o que viram ou ouviram falar de importante, jornalistas imaginam que têm poder ou que fazem parte do poder. Têm poder até o momento em que são despedidos. Fazem parte do poder se concordam em servir aos que de fato o detêm. Os donos de jornal e dos demais meios de comunicação, estes sim, são poderosos".

O livro publicado pela editora Contexto, de São Paulo, tem 176 páginas e custa R$ 23,90.

Revista Consultor Jurídico, 18 de novembro de 2002, 9h56

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 26/11/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.