Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Coluna do Rio

Deputado quer suspender cobrança de pedágio em rodovia do Rio

Por 

O deputado estadual Átila Nunes (PMDB) deve entrar com uma Ação Civil Pública contra a concessionária Rota 116 S/A, que explora a rodovia estadual RJ 116. A rodovia liga Itaboraí a Itaperuna, com 300 quilômetros de extensão, e há um ano foi privatizada sem que a concessionária tenha feito os investimentos pactuados para cobrar pedágio.

A concessionária é acusada de instalar praças de arrecadação de pedágio dentro dos limites das cidades atravessadas pela rodovia RJ 116. Assim, os moradores ficam obrigados a pagar taxa na ida e na volta dos trajetos urbanos.

Segundo o deputado, a recuperação do asfalto é de baixa qualidade, não há acostamento na estrada e o socorro oferecido em caso de acidentes "é absolutamente nulo". Nunes propôs, com base nas falhas da prestação do serviço concedido há um ano, que seja suspensa a cobrança do pedágio até serem feitas as melhorias previstas. Entre elas, a instalação de telefones, construção de acostamento, sinalização e recapeamento asfáltico.

Negócios em alta

Um advogado recém-chegado de Buenos Aires informa que o setor imobiliário da capital tornou-se extraordinariamente atraente para investidores brasileiros. Imóveis que antes da crise valiam US$ 1 milhão podem ser arrematados por US$ 200 mil. Não é a primeira vez que isso acontece nos últimos 25 anos.

Reconhecimento

O Jornal do Brasil colhe expressivas manifestações de reconhecimento pela publicação da carta em que José Bonifácio Sobrinho rompeu com o sistema Globo.

A carta de Boni é um primor de elegância. O ex-executivo da TV também foi muito festejado pela resposta à nota da emissora de apoio a Marluce Dias da Silva, atual superintendente da Casa

 é editor da revista Consultor Jurídico no Rio de Janeiro

Revista Consultor Jurídico, 10 de maio de 2002, 15h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/05/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.