Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Nova era

TV Justiça começa produção de programas nesta segunda

A TV Justiça começa a funcionar internamente, nesta segunda-feira (15/7), com reuniões, produção de programas e telejornal. Por enquanto, nada vai ao ar. A fase significa apenas o aquecimento das turbinas do Supremo Tribunal Federal para colocar a programação no ar no dia 11 de agosto, data que marca o início dos cursos jurídicos no Brasil. A partir do dia 5 de agosto, a TV entrará em fase de testes até o início oficial da programção.

O sinal já está no satélite. Para isso, foram cinco meses de muito trabalho, principalmente da equipe de administração do STF. A nova televisão teve um investimento de cerca de US$ 800 mil e deverá ser transmitida em 35 cidades por cabo.

Nesta segunda-feira, o assessor de imprensa do STF, Renato Parente, tem reuniões em São Paulo com a TV Cultura, com a NET e com a Associação Brasileira das TVs por Assinatura. A TV Cultura de São Paulo ficará responsável pela instalação, administração, operação e manutenção da TV Justiça.

A imprensa poderá participar da reunião de pauta sempre das 14h às 15h, de segunda a sexta-feira. A editora-chefe do "Jornal da Justiça" é

Ana Tereza de Senna. De hora em hora serão exibidos boletins com notícias jurídicas — "Justiça Agora".

Também haverá uma sala da chat, disponível na página da TV Justiça e restrita aos usuários cadastrados. O endereço do site é www.tvjustica.gov.br. Para se cadastrar, basta enviar um e-mail para tv@stf.gov.br, ou ligar para (61) 217.3823, informando nome, órgão, e-mail e senha.

Da mesma forma, serão aceitas sugestões de pauta por e-mail, fax ou

telefone. Na reunião de pauta, será definida a forma de participação de cada correspondente, assim como os responsáveis pelo contato com o jornalismo da TV.

Outra forma de participação é o envio de julgamentos gravados ou a

transmissão ao vivo.

Nesta segunda-feira também começa a trabalhar o âncora das transmissões, Carlos Eduardo Cunha, que vai editar pilotos com material do plenário do STF e de outros tribunais, além de iniciar contatos com aqueles que já manifestaram interesse em exibir suas sessões.

A gerente da TV Justiça é Cláudia Lemos, que ficará responsável pela supervisão de toda a operação no dia-a-dia, coordenando o trabalho das equipes de jornalismo e programação.

Os tribunais interessados em produzir programas na TV Justiça devem solicitar a ficha de cadastramento pela Internet no endereço tv@stf.gov.br ou pelo telefone (61) 217-3823. Atualmente, mais de 30 órgãos e entidades ligadas ao Judiciário já decidiram que farão parte da programação.

O programa "Trocando Idéias", do Movimento do Ministério Público Democrático (SP), "Direito em Debate", (OAB do Rio de Janeiro) e "Justiça para todos", da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul, são alguns dos programas já definidos na grade da TV Justiça.

Revista Consultor Jurídico, 15 de julho de 2002, 13h02

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 23/07/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.