Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Coluna do Rio

Presidente do TJ-RJ é contra férias forenses em janeiro e julho

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Marcus Faver, disse que as férias forenses em janeiro e julho não passam de uma imposição da lei orgânica e que atrapalham o andamento dos processos.

“Não vejo qualquer razão para o Tribunal entrar em recesso em janeiro e julho”, afirmou. Segundo o desembargador, “os juízes deveriam tirar suas férias de 60 dias por ano quando achassem melhor e não em meses determinados”.

“Aumentei o número de Câmaras de plantão nesses meses. Além disso, elas passaram a ter competência para julgar todos os processos que chegarem em julho ou janeiro, o que agiliza a prestação de serviço”, informou.

De volta

Depois de quase dez meses afastado de suas funções, o juiz Siro Darlan voltou como titular da 1ª Vara da Infância e da Juventude no Rio.

Ele estava em Portugal fazendo um curso de Direito da Comunicação, na Faculdade de Coimbra. Durante o tempo em que esteve na Europa foi substituído pelos juízes Leonardo Gomes e Luciana Pamplona.

Passos desacertados

As agências de rating nem sempre conseguem acertar o passo com o mercado financeiro. A observação é de um advogado especializado em Direito Societário.

De acordo com ele, um bom exemplo desse desencontro aconteceu depois da nova revisão para baixo do Banco do Brasil pela Moody's , As ações da instituição dispararam.

A alta está batendo os 11%, com a maioria dos operadores convicta de que a direção do banco retomará a venda de ações pulverizadas, aceitando cotas do FGTS como pagamento.

Justiça e Paz

A Emerj patrocina o evento Responsabilidade Social — Justiça e Paz, que começa em sua sede no 4ª andar do Tribunal de Justiça.

Revista Consultor Jurídico, 12 de julho de 2002, 12h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 20/07/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.