Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Grampo na política

Agente revela de onde são feitas as escutas do PT em São Paulo

As escutas feitas em telefones de integrantes do Partido dos Trabalhadores pela Abin e pela Polícia Federal ocorrem por meio de um aparelho contrabandeado que custa cerca de US$ 20 mil. O aparelho teria a capacidade de grampear 10 telefones de uma única vez. Também mostra em que cidade está o usuário por meio do código telefônico.

Na semana passada, o deputado Pedro Pedrossian (MS) teria dito para um agente que tem um aparelho desse. Com o dispositivo, o deputado teria grampeado seu adversário, o governador Zeca do PT. De acordo com o agente, o deputado comentou aos risos que "com um aparelho como esse, se pode até matar alguém" já que ele facilita a localização da "vítima".

As escutas têm sido feitas também pelo delegado José Massillon Bernardes, segundo o agente. O delegado era do Dops e foi integrado na Polícia Civil por Romeu Tuma. Destacou-se nos anos 85, 86, 87 e 88 por ter estourado a máfia de fraudadores do INPS, então encabeçada por Milton Camanho Milréu.

De acordo com a fonte, as escutas estariam sendo feitas em dois andares do antigo prédio do Deic, da Polícia Civil, no centro de São Paulo. A escuta estaria instalada no sétimo andar (Deic) e no sexto (Denarc).

O Ministério Público afirmou que "os elementos existentes indicavam a possível ocorrência de desvio ou abuso praticado pela PF".

Revista Consultor Jurídico, 4 de julho de 2002, 11h30

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 12/07/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.