Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Nomes aos bois

Veja quem ficou com o dinheiro dos credores da Boi Gordo

Em entrevista respondida por escrito, o secretário-geral da Associação dos Parceiros e Credores das Fazendas Reunidas Boi Gordo, Miguel Dias Gandullo, confirmou que a presidente da entidade é "assistente administrativa" do Escritório de Advocacia Gonçalves Coelho há sete anos.

Gandullo negou que pagamentos feitos por credores associados tenham sido desviados para contas de outras pessoas. A afirmação conflita com a declaração assinada da presidente da Associação, Cláudia Zelenkovas, anexada a Boletim de Ocorrência (1.666/2002) registrado na 3ª Delegacia de Polícia da capital paulista.

Leia as acusações feitas contra a entidade.

Na declaração (Leia íntegra abaixo), Cláudia cita os números de cheques, os emitentes e os beneficiários dos pagamentos feitos por associados da APCBG. Segundo cópias de documentos bancários em posse da titular da entidade, os beneficiários são familiares do advogado que comanda a associação, Augusto Coelho.

Gandullo afirma ainda que a associação tem apenas 433 associados e que os créditos somados, sem os reajustes de correção e percentuais dos investimentos remontam a R$ 23.321.353,74. O valor recebido pela entidade, afirma, é de R$ 14.724,96.

As informações conflitam com o que diz Cláudia, que estima em cerca de 750 os associados e em cerca de R$ 40 milhões os créditos. Colide também com declarações de Augusto Coelho, que afirmou anteriormente ser em torno de R$ 80 milhões os créditos dos associados.

Quanto aos R$ 14,7 mil alegadamente recebidos, outra disparidade: pelas cópias de cheques e extratos de depósitos em favor dos familiares do advogado Augusto Coelho (em posse de Cláudia), a entidade recebeu – apenas nos últimos dias – cerca de R$ 20 mil.

O secretário-geral da associação confirma que a entidade anunciou o afastamento da presidente Cláudia Zelenkovas. Ela nega que tenha abandonado o cargo ou que pretenda fazê-lo.

Leia a Declaração de Cláudia

SOU PRESIDENTE DA “ASSOCIAÇÃO DOS PARCEIROS E CREDORES DA FAZENDAS REUNIDAS BOI GORDO” COM SEDE NA RUA MAJOR SERTÓRIO, 691, 3º ANDAR, SÃO PAULO, SP, ASSOCIAÇÃO CIVIL SEM FINS LUCRATIVOS.

HÁ CERCA DE 8 ANOS SOU FUNCIONÁRIA DE UM ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA COM ENDEREÇO NA MESMA RUA E MESMO PRÉDIO DA ASSOCIAÇÃO NO 4º ANDAR, ADVOCACIA GONÇALVES COELHO S/C.

NO DIA 19 DE OUTUBRO DE 2001 OS ADVOGADOS DO ESCRITÓRIO PARA QUEM TRABALHO, DRS. AUGUSTO SOUZA COELHO E SUA ESPOSA MARIA CONCEIÇÃO DA HORA GONÇALVES COELHO MONTARAM UMA ASSOCIAÇÃO DE CREDORES DA FAZENDAS BOI GORDO.

ESTA MONTAGEM SE DEU COM UM DOCUMENTO QUE ME PASSARAM PARA ASSINAR ONDE EU SERIA A PRESIDENTE DESTA ASSOCIAÇÃO E O SR. VALDIR DE SOUZA COELHO O DIRETOR, UM SENHOR DE CERCA DE 70 ANOS PAI DO DR. AUGUSTO.

ESTA ASSOCIAÇÃO FOI REGISTRADA NO 4º CARTÓRIO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS DE SÃO PAULO SOB Nº 0434830.

COMO A BOI GORDO PEDIU CONCORDATA NO DIA 15 DE OUTUBRO DE 2001 ESTA ASSOCIAÇÃO TERIA COMO FIM AGRUPAR CREDORES PARA DEFESA JUDICIAL EM GRUPO.

DESTA FORMA OS ADVOGADOS PROVIDENCIARAM UMA SALA NO 3º ANDAR ALUGADA PELO SR. VALDIR E INSTALARAM ALI A ASSOCIAÇÃO.

JAMAIS RECEBI QUALQUER SALÁRIO DESTA ASSOCIAÇÃO. EU COMO SECRETÁRIA DO ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA RECEBIA UM SALÁRIO DE R$ 700,00 (setecentos reais) POR MÊS MAS O MEU SALÁRIO DE JANEIRO ESTÁ ATRASADO.

AINDA É NECESSÁRIO DIZER QUE ESTES ADVOGADOS SEMPRE FICARAM COM O CONTROLE FINANCEIRO DA ASSOCIAÇÃO E EU NUNCA TIVE ACESSO AOS VALORES QUE ENTRARAM E QUE SAÍRAM POR ISSO REGISTREI A OCORRÊNCIA.

OS ADVOGADOS ENTRARAM COM DOIS PROCESSOS EM NOME DA ASSOCIAÇÃO PERANTE A 10ª VARA CÍVEL DO FORUM CENTRAL DE SÃO PAULO (NºS 309966-3 E 31192-2) SENDO UM PEDIDO LIMINAR DE ARRESTO DE BENS E OUTRO DE SEQUESTRO DE BENS DA BOI GORDO E EMPRESAS DO GRUPO E PESSOAS FÍSICAS DOS SÓCIOS.

O JUIZ CONCEDEU LIMINAR EM AMBOS E EXPEDIU CARTAS PRECATÓRIAS PARA SEREM CUMPRIDAS NAS FAZENDAS DO GRUPO NAS CIDADES DE COMODORO, CÁCERES, CHAPADA DOS GUIMARÃES, PORTO ESPERIDIÃO, PONTES DE LACERDA E CUIABÁ, TODAS NO MATO GROSSO E AINDA ITAPETININGA, SP E LONDRINA, PR.

COMO O JUIZ DETERMINOU QUE EU, PRESIDENTE, ASSINASSE COMO DEPOSITÁRIA DE TODOS OS BENS QUE FOSSEM ARRESTADOS E SEQUESTRADOS, EU ME DIRIGI AO MATO GROSSO, SEMPRE NO INTERESSE DOS ASSOCIADOS, SOZINHA, COM AS CARTAS PRECATÓRIAS.

FUI PARA O MATO GROSSO COM R$ 600,00 (seiscentos reais) NO BOLSO SENDO ESTE O DINHEIRO QUE OS ADVOGADOS ME DERAM PARA AS MINHAS DESPESAS LÁ. DEPOIS MANDARAM UM POUCO MAIS DE DINHEIRO MAS FOI INSUFICIENTE PARA COBRIR AS DESPESAS MÍNIMAS COMO CHEQUES PARA CONTAGEM DE GADO, HOTEL, GASOLINA, ALMOÇO, ETC.

FUI PARA LÁ NO MEIO DO MÊS DE DEZEMBRO E REALIZEI ARRESTOS EM ALGUMAS COMARCAS. ME MANDARAM PASSAGEM DE VOLTA NO NATAL E PASSEI COM A FAMÍLIA RETORNANDO AO MATO GROSSO NO DIA 26/12 COM CERCA DE R$ 150,00 (cento e cinqüenta reais) REALIZANDO MAIS ALGUNS ARRESTOS.

VOLTEI COM NOVA PASSAGEM MANDADA NO FINAL DO ANO E NO DIA 02/1/02 RETORNEI PARA O MATO GROSSO ONDE REALIZEI VÁRIOS ARRESTOS E SEQUESTROS EM CUMPRIMENTO DAS PRECATÓRIAS O QUE TOTALIZA VÁRIAS FAZENDAS (TERRAS), CERCA DE 20.000 BOIS, 80 MÁQUINAS, CARRETAS, TRATORES, COLHEITADEIRAS, ETC.

LOGO NO FINAL DE JANEIRO, JÁ SEM DINHEIRO NO MATO GROSSO NEM PARA O HOTEL, SOFRI UMA SITUAÇÃO CONSTRANGEDORA QUANDO TIVE A DEVOLUÇÃO DE ALGUNS CHEQUES PESSOAIS MEUS DADOS PARA CUMPRIR ESTAS PRECATÓRIAS, CHEQUES ESTES DA PRIMEIRA CONTA QUE TIVE NA VIDA ABERTA NO BANCO ITAU EM DEZEMBRO/2001 NUM TOTAL DE CERCA DE R$ 5.500 (cinco mil e quinhentos reais).

ESTA DEVOLUÇÃO FOI MOTIVO DE PERSEGUIÇÃO DA IMPRENSA NO MATO GROSSO O QUE FOI ASSOCIADO A UMA ACUSAÇÃO LEVIANA DE QUE EU TERIA ME IDENTIFICADO COMO ADVOGADA DA ASSOCIAÇÃO O QUE NUNCA OCORREU.

SEMPRE ME IDENTIFIQUEI COMO PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO. ISTO PROVOCOU UMA SITUAÇÃO EM QUE REALMENTE ME “CONVIDARAM” A IR NUMA DELEGACIA DE CUIABÁ ONDE TUDO FOI ESCLARECIDO.

ALÉM DOS ADVOGADOS DA ASSOCIAÇÃO NÃO ME MANDAREM DINHEIRO PARA COBRIR ESTES CHEQUES, O QUE É PIOR, NÃO DESMENTIRAM NOTÍCIAS MENTIROSAS DADAS NA MÍDIA DE LÁ QUE EU TERIA SIDO PRESA. TAMBÉM NÃO FORAM LÁ ME DEFENDER MAS APENAS PEDIRAM PARA QUE EU PROCURASSE UM ADVOGADO EM CUIABÁ PARA ME ACOMPANHAR NO SEGUNDO DIA NA DELEGACIA.

ESTE ADVOGADO, DR. GABRIEL ME ACOMPANHOU E ME DEU TODAS AS GARANTIAS DE QUE EU ESTAVA NO EXERCÍCIO DO CUMPRIMENTO DAS PRECATÓRIAS. OS PRÓPRIOS DR. AUGUSTO E CONCEIÇÃO FALARAM COM ELE POR TELEFONE E SE COMPROMETERAM A PAGAR R$ 1.000,00 (mil reais) EM DUAS VEZES UMA de R$ 500,00 E DEPOIS DE 7 DIAS OUTRA DE R$ 500,00, MAS ELES NÃO PAGARAM A SEGUNDA ATÉ HOJE.

ISSO ME COLOCOU NUMA SITUAÇÃO DIFÍCIL PARA COM OS ASSOCIADOS QUE DEVEM TER ACHADO QUE EU NÃO ESTAVA AGINDO CORRETAMENTE.

MUITOS ATÉ ME LIGARAM E EU NÃO TINHA O QUE DIZER A NÃO SER A VERDADE, QUE EU NÃO TINHA DINHEIRO PARA DESPESAS, E, APESAR DE INÚMEROS PEDIDOS OS ADVOGADOS DE SÃO PAULO NADA ME MANDARAM.

TENHO TODAS AS NOTAS FISCAIS, RECIBOS DO QUE GASTEI, INCLUSIVE DO QUE GASTEI ATRAVÉS DOS CHEQUES QUE FORAM DEVOLVIDOS DA MINHA CONTA.

O DR. AUGUSTO E A DRA. CONCEIÇÃO NÃO ME MANDAVAM O DINHEIRO NECESSÁRIO APESAR DE EU PEDIR SEMPRE.

QUERO DIZER AQUI QUE ASSUMI COMO DEPOSITÁRIA DE TODOS ESTES BENS BEM COMO ASSUMI A PRESIDÊNCIA DESTA ASSOCIAÇÃO COM O ÚNICO OBJETIVO DE AUXILIAR OS ASSOCIADOS CUMPRINDO COM A MINHA PALAVRA PESSOAL A CADA ASSOCIADO E QUE ENTENDIA QUE ESTAVA PRESTANDO UM SERVIÇO PARA A ADVOCACIA ONDE TRABALHAVA HÁ 8 ANOS.

SEMPRE ESTIVE À DISPOSIÇÃO DOS ADVOGADOS SÓ QUE QUANDO RETORNEI DE VIAGEM AQUI EM SÃO PAULO DEPAREI COM DESVIOS DOS CHEQUES DOS ASSOCIADOS QUE ENTRAVAM NESTA ASSOCIAÇÃO.

COMO EXEMPLO POSSO CITAR, DENTRE OUTROS CHEQUES DOS ASSOCIADOS MANOEL SANCHES, GILSON PESSANHA RAMOS, LEONOR MELO ROMANO E SYNVAL DE SOUZA JR, QUE TOTALIZAVAM R$ 2.457,00 DEPOSITADOS NA CONTA DA SRA. MARIA TERTULIANA DE SOUZA COELHO, ESPOSA DO SR. VALDIR, DIRETOR DA ASSOCIAÇÃO EM 28/01/02.

AINDA CHEQUES DO ASSOCIADO MARCOS ANTONIO DE MATTEIS NO VALOR DE R$ 1.188,00 DEPOSITADO NA CONTA DA DRA. MARIA CONCEIÇÃO DA HORA GONÇALVES COELHO NA DATA DE 30/01/02.

VÁRIOS OUTROS DEVEM EXISTIR E NÃO CONSIGO ASSUMIR O CONTROLE FINANCEIRO DA ASSOCIAÇÃO E ESTOU PREOCUPADA COM A FORMA DE PRESTAR CONTAS AOS ASSOCIADOS.

EU NÃO AUTORIZEI ESTES DEPÓSITOS E INÚMEROS OUTROS QUE DEVEM TER SIDO FEITOS BEM COMO NUNCA ENDOSSEI CHEQUE NENHUM DA ASSOCIAÇÃO.

ESTE DESVIO ME PREOCUPA BEM COMO JÁ QUE O MEU NOME ESTÁ EM JOGO E SOU DEPOSITÁRIA DE TODOS OS BENS, RESPONDENDO JURIDICAMENTE PELA ASSOCIAÇÃO, É NECESSÁRIO QUE FIQUE CLARO QUE FALTOU DINHEIRO PARA EU CUMPRIR AS PRECATÓRIAS DE FORMA SATISFATÓRIA E EU SEMPRE PEDI ESTE DINHEIRO AOS ADVOGADOS E ELES SEMPRE NEGARAM ME INFORMANDO QUE A ASSOCIAÇÃO NÃO TINHA DINHEIRO.

AINDA VALE RESSALTAR QUE A ASSOCIAÇÃO TEM CONTA EM BANCO NO BBV AG. 0106, C/C 0100255371 E ESTA CONTA FOI ABERTA PROVAVELMENTE PELO SR. VALDIR. NUNCA TIVE ACESSO À CONTA E NUNCA TIVE CARTÃO OU SENHA.

A MINHA CONTA CORRENTE NO ITAU É NA AG. 2965, C/C 03018-8 E NÃO TENHO DINHEIRO NENHUM.

O SECRETÁRIO EXECUTIVO DA ASSOCIAÇÃO É O SR. MIGUEL DIEZ GANDULLO QUE FOI CONTRADO COMO CONHECIDO DO DR. AUGUSTO MAS NÃO SEI SE OS ADVOGADOS ESTÃO PAGANDO ELE.

QUERO PRESERVAR OS MEUS DIREITOS, OS DA ASSOCIAÇÃO E DOS ASSOCIADOS E O CONTROLE FINANCEIRO DESTA ASSOCIAÇÃO DEVE SAIR DAS MÃOS DOS ADVOGADOS, SENDO QUE À CRITÉRIO DOS ASSOCIADOS E APÓS UMA ASSEMBLÉIA NÃO VEJO PROBLEMA EM CONTINUAR COMO PRESIDENTE, MAS OS ASSOCIADOS DEVEM SABER E TER ACESSO CLARO AO QUE OCORRE.

SÃO PAULO, 7 DE FEVEREIRO DE 2.002

CLÁUDIA ZELENKOVAS

RG. 19.537.209-8

CPF. 116.871.218-18

Revista Consultor Jurídico, 7 de fevereiro de 2002, 16h41

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 15/02/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.