Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Palavra da Abin

Abin não investigou se há ligações entre juízes e crime em MT

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Alberto Cardoso, a quem está subordinada a Agência Brasileira de Inteligência, assegurou que a Abin não tem informações sobre supostas ligações entre magistrados da Justiça de Mato Grosso com o crime organizado. A garantia foi dada esta semana ao presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Leônidas Duarte Monteiro, que está em Brasília para tratar do assunto.

O presidente do TJ-MT procurou o general Cardoso em busca de informações sobre as denúncias veiculadas no último domingo (1/12) pelo programa "Fantástico", da TV Globo. A reportagem abordava a existência de um relatório da Abin que apontava o envolvimento de magistrados matogrossenses com atividades ilícitas. "A reportagem destacou fatos que estariam no citado relatório e, sem apontar nomes, colocou sob suspeição a integridade de todo o Poder Judiciário do Estado. Isso é inadmissível", disse Monteiro.

Durante a audiência, o desembargador reiterou a sua preocupação com a falta de precisão da denúncia. "Em que pese o seu papel de informar a sociedade sobre assuntos de seu interesse, a reportagem fez generalizações e nosso empenho, até agora, foi pela identificação de eventuais responsáveis", completou o presidente do TJ-MT.

O general Cardoso concordou com os argumentos do desembargador e afirmou que o governo acompanha com preocupação os acontecimentos em Mato Grosso. Ele se comprometeu a informar o Superior Tribunal de Justiça e o TJ-MT sobre o andamento das investigações.

Revista Consultor Jurídico, 6 de dezembro de 2002, 15h13

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 14/12/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.