Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prisão decretada

Juiz de Mato Grosso decreta prisão temporária de Arcanjo

Por 

O juiz da 1ª Vara Federal de Cuiabá (Mato Grosso), Julier Sebastião da Silva, decretou a prisão do comendador João Arcanjo Ribeiro, do coronel da reserva da Polícia Militar Frederico Lepesteur e de mais seis pessoas. O juiz determinou também o seqüestro de bens do comendador.

Em entrevista ao site Consultor Jurídico, Julier afirmou que a movimentação bancária de Arcanjo no Brasil nos últimos quatro anos foi de mais de R$ 2 bilhões. "Do total, R$ 1 bilhão não foi declarado a Receita Federal", disse.

Arcanjo é acusado de crimes como contrabando, homicídios, evasão de divisas, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. No último domingo, o Fantástico exibiu reportagem sobre o comendador de Mato Grosso. Até o momento, Arcanjo ainda não foi preso.

Policiais Federais estão na casa do coronel Lepesteur para cumprir a ordem de busca e apreensão. Por enquanto, foram apreendidas uma escopeta calibre 12, dois revólveres calibre 38 e uma pistola 380 mm na casa de Lepesteur.

 é editora da revista Consultor Jurídico e colunista da revista Exame PME.

Revista Consultor Jurídico, 5 de dezembro de 2002, 13h01

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 13/12/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.