Consultor Jurídico

Artigos

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Comando Delta

Conluio para eleger Serra tenta anular os demais candidatos

Por 

O governo FHC atingiu o maior grau de desespero possível, para fazer o pesado e antipático candidato Serra subir nas pesquisas eleitorais para presidente da república, demonstra que é capaz de fazer qualquer coisa para derrubar os candidatos que ousam ficar na frente do genérico candidato do PSDB.

Primeiro foi Roseana Sarney, a qual imitando um furacão, passou dos 20% de intenção de votos, antes mesmo das campanhas oficializadas. Serra imediatamente foi para o temido terceiro lugar que não dá direito a uma chance de segundo turno. Desespero no Planalto. A Polícia Federal faz uma operação na sede de uma empresa que já não tinha relação com as investigações da Sudam, e ali "sem querer", se encontra um milhão e trezentos mil reais em notas de cinqüenta, que são fotografadas em uma mesa como um troféu. Roseana leva 1 mês para explicar sua origem e sua candidatura explode. Serra volta para o segundo lugar.

A operação Roseana, para o governo de FHC, já havia atingido o propósito maior e emergencial. Viva a PF. O caso Sudam continua sendo apurado como já estava sendo há mais de três anos e o delegado Deuselino, que atuou contra Roseana e foi "elogiado" pelo presidente, é destituído do cargo, justamente quando anunciava que iria indiciar o governador Dante de Oliveira, do PSDB do Mato Grosso, convenhamos, isso não estava no script.

A renúncia de Roseana da pretensão de disputar a eleição foi provocada pela operação legal da PF do tucano Agílio e FHC, isso não se discute.

Após a saída de Roseana aparece nas pesquisas Garotinho em terceiro lugar, Serra em segundo, Ciro em quarto e Lula em primeiro. O Planalto está feliz. Aposta que, em um segundo turno com Lula, o devaneio do PSDB, de ficar no poder por vinte anos, está garantido.

Agora é Garotinho que começa a subir nas pesquisas com a ajuda até dos santos e da bíblia, mas que havia subido era uma realidade. PERIGO À VISTA, e antes que Garotinho pudesse comemorar a segunda colocação é bombardeado por denúncias de ex-colaboradores, coisa antiga também, mas que vira capa das mesmas revistas e são noticiadas com afinco pelos mesmos veículos de comunicação que derrubaram Roseana. Sem que se saiba de onde, surge a notícia de que o candidato evangélico iria renunciar a qualquer momento.

O partido confirma sua manutenção, mas não adianta. Garotinho despenca e acaba no quarto lugar, deixando o terceiro para Ciro. Lula e Serra continuam firmes. Sem problemas. O Planalto e o Comando Delta* se acalmam e dormem um pouco mais sossegados.

Lula começa a subir muito e já se começa a falar que poderá ganhar no primeiro turno. Êpa! Isso não! Assustam-se no Alvorada. Hora de agir. Um dossiê falso, com denúncias mais falsas ainda, feitas por um falso prefeito, dão origem a uma "séria" investigação por parte de um grupo de policiais federais. Detalhe: a denúncia, falsa, contra Lula havia sido feita dois anos atrás, na CPI do Narcotráfico, mas o delegado que ali estava a serviço da CPI, sem que o presidente ou o relator saibam, manda o dossiê falso para a direção geral do Tucano Agílio Monteiro Filho, diretor da PF na época.

Apura-se com bastante vontade e determinação e chega-se à conclusão de que não havia fundamento nas declarações do suspeito delator, o qual, inclusive nega que tenha denunciado Lula, mas sim o PSDB de São Bernardo do Campo. O "inquérito" não foi instaurado. Os relatórios e as "investigações" contra Lula são arquivados. Mas as antigas e falsas denúncias, agora em época de eleições, viram manchete novamente.

A direção da PF nega, o ministro da Justiça nega e o governo nega que estivessem investigando Lula. Mas a Folha de S. Paulo e o Jornal do Comércio provam que sim, mostrando trechos do dossiê que "não existia". O PT protesta, o governo silencia e ninguém é punido no watergate tupiniquim, aqui no Brasil pode tudo.

Em Santo André, o prefeito Celso Daniel do PT é assassinado, o PT até por estar sempre acostumado a ser pedra, não sabe o que fazer como vidraça. Secretários e "amigos" do prefeito assassinado são flagrados pela PF em conversas gravadas legalmente. O PT, escaldado pelo dossiê forjado anteriormente, acusa a PF. A polêmica continua e a PF prova que estava investigando legalmente. Uma CPI é instaurada em Santo André e a imprensa de sempre cobre com afinco e dedicação, sempre citando Lula e Zé Dirceu, indevidamente.

Que membros do PT estão envolvidos em falcatruas em Santo André, não se discute mais. Lula e Zé Dirceu não são suspeitos de nada nos acontecimentos. Ainda assim, com uma ligeireza estranha para todos os brasileiros, o Engavetador-Geral da República, Geraldo Brindeiro, manda abrir uma investigação contra Dirceu. O Supremo Tribunal Federal, através do ministro Nelson Jobim, manda arquivar o pedido do "ligeiro" procurador, e ainda contradiz publicamente Brindeiro, dizendo que contra Zé Dirceu não havia nada que pudesse ser apurado. Brindeiro se cala com a cassetada de Jobim, que aproveitou para dar uma lustrada na imagem.

O caso de Santo André tem culpados, mas entre eles não estão nem Lula, nem Zé Dirceu ou qualquer outro membro da campanha presidencial do PT. Até agora, Santo André ainda é o "calo" de Lula, alimentado pelos mesmos que atuaram na operação Roseana e Garotinho.

Lula cai por conta do Caso Santo André, mas continua em primeiro e Serra em segundo. Tudo lindo e maravilhoso, o tempo vai passando e o governo FHC e seus apavorados assessores comemoram, mesmo que o genérico Serra esteja estancado como uma mula teimosa. Não sobe de jeito nenhum, mas segundo turno é segundo turno. Essa a missão maior.

O sossego de FHC e do Comando Delta* dura pouco. Ciro Gomes, que estava esquecido e sem qualquer atenção especial, ocupa o horário de televisão e CATAPLAM! Passa Serra e vai para o segundo lugar. Entra na faixa vermelha do alarme palaciano, os famosos 25%. Quem chega aos 25% tem que colocar as barbas de molho.

Investigações contra Ciro e sua família são iniciadas às pressas. O emprego de Ciro no Beach Park é questionado, como se ex-governadores e ex-ministros não tivessem contas para pagar depois que saem dos cargos. O canal do trabalhador, obra de Ciro no Ceará, passa pelo pente fino do governo FHC e dos arapongas de plantão. Não encontram nada! E agora?

Reuniões de arapongas, jornalistas partidários e todo tipo de investigadores oficiais e extra-oficiais que querem agradar FHC e Serra começam a investigar tudo que podem sobre as pessoas que estão perto de Ciro. Bingo !

Descobrem, "de repente", que José Carlos Martinez, coordenador de campanha de Ciro e presidente do PTB fez um empréstimo de Paulo César Farias, aquele do Collor. A investigação estava na gaveta do Brindeiro há mais de dois anos, mas agora, ele num lampejo de rapidez inédita, manda para o STF a denúncia contra Martinez.

Quando Martinez era um dos sustentáculos do governo FHC no Congresso Nacional, Brindeiro não teve essa iniciativa. Mas agora, ligado a Ciro, virou inimigo. A denúncia contra ele é grave e, a bem da verdade já deveria estar preso. Mas somente agora se torna vilão de verdade. As denúncias estavam acobertadas pelas mesmas pessoas que agora denunciam. Vergonha nacional !

Martinez renuncia ao cargo de coordenador de Ciro por força das "inéditas" denúncias, mas Ciro aparece mais em segundo do que nunca nas pesquisas eleitorais de todos os institutos. E agora?

Agora? Agora tem o Paulinho, aquele da Força Sindical que já havia sido denunciado por suspeitas de falcatruas com verbas do FAT. A investigação "rigorosa" estava à cargo da Corregedoria-Geral da União, órgão criado às pressas por FHC para centralizar denúncias contra o seu governo. A Dona Anadyr estava com a investigação de Paulinho há mais de um ano, mas agora, de repente, vaza para a imprensa, sem querer querendo, um relatório incriminando Paulinho, e esse Paulinho, é o mesmo que há pouco tempo atrás gozava do maior conceito junto ao governo FHC, que usava o líder sindical para desestabilizar a CUT do PT, e para isso despejou milhares de dólares na Força Sindical, e agora, somente agora, acusa Paulinho, ex-aliado, de ter usado "mal" esse dinheirão todo dado por eles mesmos.

Se Paulinho não fosse o vice de Ciro e estivesse apoiando o Serra, as denúncias contra ele teriam vazado lá da titia Anadyr? Se o Martinez tivesse continuado como líder do apoio do PTB ao governo FHC e se tivesse apoiando Serra, seu empréstimo feito do ladrão morto PC, teria vindo a público novamente? Claro que não. Nunca.

Agora, o problema maior. Ciro, mesmo bombardeado pelos mesmos órgãos de imprensa do esquema do Comando Delta*, em pesquisa da revista Istoé deste final de semana (veja reportagem no site da FENAPEF), aparece na frente de Lula no percentual eleitoral. Repórteres de uma conceituada e endividada revista semanal nacional já estão em Fortaleza para escarafunchar a vida de Ciro, querem mais. Querem derrubar Ciro a todo custo. Querem derrubar Lula a todo custo. Serra para eles é vida ou morte.

A imprensa nacional se omite diante desses fatos, a imprensa maior se preocupa com os escândalos que vendem seus veículos de comunicação e silenciam na análise maior que é saber se os candidatos em si estão envolvidos em falcatruas, ou somente as pessoas do apoio. Todos sabem que sem apoio e sem coligações ninguém pode participar de uma eleição presidencial, sem essa coligação não tem horário na TV e isso no Brasil é mortal, já que a maior e monopolista TV do país apóia o governo descaradamente, mas isso não é novidade no Brasil, novidade é ver órgãos de imprensa tradicionais, e que nunca se declaram em favor desse ou daquele candidato, fazer o que estão fazendo ou se omitindo diante dos fatos.

Qual o próximo passo do Comando Delta*? Quietos não irão ficar, o Serra que se cuide, já que, se não reagir no horário eleitoral, ou antes dele, vai ser ejetado da disputa de um jeito ou de outro. Quem viver verá.

Serjão (Sérgio Motta), quando disse que o PSDB tinha um plano para governar vinte anos não estava fazendo uma análise pessoal, estava passando deliberação dos membros do Comando Delta* que asseguraram isso a ele e, como se vê, estão fazendo qualquer coisa para manter a escrita e a previsão do Serjão.

A Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF), está fazendo a parte dela. Denunciou o uso político da PF apontando os dossiês fantasmas contra candidatos e os afastamentos de delegados federais de investigações que apontavam o envolvimento de pessoas ligadas a FHC e ao candidato Serra. Nesta segunda-feira (5/8), às 19 horas, no Hotel Glória no Rio de Janeiro vamos abrir o nosso VIII Congresso Nacional, e nele vamos conclamar a verdadeira imprensa e os legítimos cidadãos brasileiros para o enfrentar esse governo descarado, corrupto e omisso que agora tenta se manter no poder a qualquer preço.

*Comando Delta é o nome que se deu (batizado por eles mesmos) às pessoas que verdadeiramente governam esse país desde 1500. São grandes e megas empresários nacionais e internacionais de todas as áreas, são funcionários do executivo, judiciário e legislativo, além de organismos internacionais de investigações governamentais, que se unem para ditar as regras de tudo e para todos, principalmente na escolha do presidente da República. Foram eles que decidiram que Sarney tinha que tomar posse, e não Ulisses Guimarães, como mandava a Constituição Federal. Foram eles que decretaram que Collor tinha que sair pela porta dos fundos, investigando e achando a corrupção praticada por eles mesmos que financiaram a campanha de Collor e depois denunciaram o fato. Foram eles que decretaram que FHC seria o candidato e não o deixaram apoiar Collor como queria. Agora eles se unem desesperados para fazer o sucessor de FHC. Queriam Aécio como candidato, mas o teimoso Serra atrapalhou e deixou muita gente nervosa. A imprensa noticiou reuniões "secretas" de banqueiros, empresários e empreiteiros com Aécio, Serra e FHC bem antes do início das disputas. Agora contam também com especuladores internacionais que ditam normas para nossa economia com aumentos injustificáveis do dólar e de pressões de acordos antecipados. Se não bastasse, o Comando recebeu como membros os mais novos interessados, que são os empresários internacionais que ganharam as Teles de presente de FHC. Esse pessoal do Comando Delta fatura 90% do que se lucra no país e não irão abrir mão de continuar a faturar como querem e bem entendem, em detrimento da sofrida população brasileira.

Francisco Carlos Garisto é ex-presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais

Revista Consultor Jurídico, 4 de agosto de 2002, 8h08

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 12/08/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.