Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Coluna do Rio

Advogados do Rio entram com ação contra cortes de energia

Por 

O Sindicato dos Advogados do Rio vai entrar com Ação Civil Pública, na Justiça Federal, contra a Medida Provisória que regulamenta os cortes e multas para consumidores de energia elétrica. A ação será impetrada ainda esta semana.

Segundo Wadith Damous, presidente da entidade, a MP fere gravemente os direitos dos consumidores, além de ser inconstitucional. Todos os advogados associados ao sindicato - cerca de 10 mil - poderão ser favorecidos com a ação.

Boni e Globo

A proposta de renovação do contrato de José Bonifácio Sobrinho já foi feita. A direção da Globo propôs que Boni fique por mais três anos, com reajuste de sua remuneração mensal. Para isto, ele deixa de ter direito à participação nos lucros da empresa. Em contrapartida, poderá retransmitir a programação da Globo em emissoras do interior de São Paulo, a começar pela de Taubaté, de sua propriedade.

Boni poderá também coordenar iniciativas particulares nas áreas de saúde, educação e cultura. Na parte educacional, o consultor já teria até recebido sondagens de empresários donos de universidades para organizar um programa de educação à distância pela televisão. A papelada ainda está sendo analisada pelos advogados de Boni.

Prazo final

O Hospital Silvestre, em Santa Teresa (zona central do Rio), tem até hoje para pagar uma indenização de R$ 300 mil. A quantia é resultado de sentença do juízo da 30ª Vara Cível por erro médico ao operar um universitário de 20 anos de apendicite. O jovem faleceu de septicemia.

Justiça cega

Comentário de um desembargador bem humorado: "a Justiça não vai ter o menor problema para julgar as ações decorrentes dos apagões. Como é cega, dispensa a luz...".

 é editor da revista Consultor Jurídico no Rio de Janeiro

Revista Consultor Jurídico, 29 de maio de 2001, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 06/06/2001.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.