Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Uso de informações

Provedores de Internet explicam uso de cookies ao MP

Os provedores de acesso à Internet, Yahoo e UOL, admitiram ao Ministério Público de São Paulo que utilizam os cookies em suas páginas para saber as preferências dos internautas, mas as informações não seriam repassadas aos sites de comércio eletrônico. Os cookies são pequenos programas coletores de informações deixados pelos sites que o usuário visita, em seu computador. O provedor de acesso à Internet Grátis (iG) explicará a utilização de cookies, na próxima quarta-feira (30/5), ao MP.

A provocação para a abertura da investigação pelo MP foi feita pelo advogado Amaro Moraes e Silva Neto. Segundo ele, os provedores Universo On Line, Yahoo e iG "vasculham as preferências de compra do internauta e podem espalhar estas informações para outros sites de comércio eletrônico sem a sua autorização". Os sites de comércio eletrônico poderiam utilizar as informações para conquistar o consumidor.

O UOL e Yahoo prestaram solicitação por escrito ao Ministério Público."Usamos a pesquisa para personalizar melhor o conteúdo, as faixas de anúncio e promoções que os usuários vêem em nosso site. Mas os dados dos internautas não são compartilhados com terceiros", afirma o documento do Yahoo enviado ao Ministério Público.

De acordo com a resposta enviada pelo UOL, "as informações não são divulgadas para outros sites do comércio eletrônico". Os dados são utilizados para o "controle interno de audiência e de navegação, não se valendo, por conseguinte, para controlar, identificar ou rastrear preferências do internauta, salvo quando este desrespeitar algumas normas de segurança do UOL", afirma o documento do UOL.

Os dois provedores afirmam que os internautas sabem da utilização dos cookies. O UOL divulga o uso de cookies nas normas de segurança e privacidade. Afirma , ainda, que preserva a intimidade dos usuários. O Yahoo considera que a atitude não fere a privacidade de seus usuários, já que o internauta precisa clicar no botão "Eu aceito" para concordar com os termos, condições e políticas de privacidade do site.

Revista Consultor Jurídico, 28 de maio de 2001, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 05/06/2001.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.