Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Grampo telefônico

Approbato critica grampo telefônico independentemente da intenção

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Rubens Approbato Machado, disse que a sociedade precisa discutir com mais profundidade e exigir das autoridades providências para evitar que escutas telefônicas clandestinas ponham em risco a segurança e liberdade dos cidadãos. A declaração de Approbato foi feita diante das notícias publicadas na imprensa com base em escutas telefônicas. A mais recente foi a interceptação telefônica de escritórios de advocacia.

Para o presidente nacional da OAB, "além de criminosa, a gravação de conversas de advogados com seus clientes viola o princípio do sigilo profissional". De acordo com Approbato, o sigilo é instituído muito mais em favor da sociedade do que do próprio advogado".

Segundo Rubens Approbato, independentemente da intenção da gravação da conversa, a interceptação telefônica, sem autorização judicial, é crime, "não se podendo aceitar seu uso corriqueiro".

Revista Consultor Jurídico, 28 de junho de 2001, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 06/07/2001.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.