Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Caso Collor

Rosane Collor consegue transferência de domicílio eleitoral

A mulher do ex-presidente Fernando Collor de Mello, Rosane, pediu e obteve a transferência de seu domicílio eleitoral de Maceió para São Paulo. O pedido foi feito juntamente com o de Collor. Não foi impugnado e foi concedido normalmente.

Esse fato é interpretado como indicador de que o Tribunal Regional Eleitoral ainda poderá validar a transferência requerida pelo ex-presidente. Na tarde desta quarta-feira, a justiça de primeira instância indeferiu o pedido de Collor.

Problemas de verdade o ex-presidente deverá ter caso chegue a um eventual pedido de registro de candidatura. É que o mero registro de candidatura, por si só, já representa o exercício de um direito político. E os direitos de Collor estão cassados até o dia 31 de dezembro - depois de esgotado o prazo de inscrição eleitoral.

A única chance do ex-presidente é que ele se beneficie, por analogia, do entendimento já consolidado pela justiça eleitoral em relação a candidatos que ainda não têm 21 anos de idade. Para esses casos, tem-se admitido a candidatura desde que, sendo eleito, os 21 anos sejam completados antes da posse.

Revista Consultor Jurídico, 22 de março de 2000.

Revista Consultor Jurídico, 22 de março de 2000, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/03/2000.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.