Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

www.censura.com

Justiça censura site de Belisa Ribeiro

O dono da boite "Base" do Rio de Janeiro e apresentador do programa Via Rio, que vai ao ar aos sábados na CNT, Julio Pignatari Junior, processou a jornalista Belisa Ribeiro (mãe de Gabriel, o Pensador). Belisa é responsável pelo site ebarbaro (www.ebarbaro.com), que publicou uma entrevista e texto atribuindo ao empresário qualificativos como "Garanhão Carcamano", "playboy de mastro pronto" e "Lustrador de Clitóris".

A juíza da 15ª Vara Cível do Rio de Janeiro concedeu medida liminar forçando o site a retirar de circulação as informações envolvendo o dono da "Base".

De acordo com Pignatari, o site "devastou sua vida privada e intimidade de forma falaciosa" e ainda utilizou sua imagem para elaborar montagens fotográficas grosseiras e levianas. Por exemplo, relata Pignatari, foi implantado um tronco na altura de sua genitália, com nove galhos, cada um representando uma de suas supostas conquistas: Camila, Mônica, Sandra, Ignez, Jaqueline, Daniela, Marta, Anna e Isabella.

Pignatari, em breve, anunciou, vai ajuizar ação de indenização por danos morais e materiais.

Segundo o apresentador do programa "Via Rio", o jornalista Michael Koellreuter procurou-o para fazer uma entrevista sobre a vida noturna do Rio, a ser veiculada em um novo site que trataria da vida social e cultural do eixo Rio-São Paulo.

Pignatari afirma que a condição para que colaborasse com o jornalista foi a garantia de que teria acesso ao texto antes de sua divulgação na Internet. No entanto, conforme consta da ação, a reportagem foi publicada sem que esta condição fosse atendida. De acordo com o empresário, a responsável pelo ebarbaro.com foi procurada, mas recusou-se a tirar a entrevista de circulação.

O empresário alega ainda que as perguntas elaboradas pelo jornalista, que deveriam ser restritas à sua vida profissional, o induziram a falar de sua vida pessoal. Inconformado, Pignatari informa que até sua avó foi "alvo de chacota no site", que insinuou que ela pagaria ao empresário uma mesada de US$ 20 mil.

Revista Consultor Jurídico, 5 de junho de 2000, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 13/06/2000.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.