Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Século XXI

STF vai transmitir julgamentos com voz e imagem pela Internet

Enquanto alguns tribunais brasileiros engatinham no mundo da informática, outros já estão bastante próximos dos recursos dominados pelas grandes empresas.

É o caso do Supremo Tribunal Federal que, a partir de fevereiro redimensionando sua rede, com o triplo do número atual de estações de trabalho. O sistema será mais rápido também. A Corte terá um link exclusivo via Embratel, com todos os sinais transmitidos por meio digital ou fibra ótica.

Em seu balanço de final de ano, o presidente Carlos Velloso anunciou que já foi escolhido o meio de segurança para dificultar invasões do sistema: será utilizada a identificação biométrica, que só dá acesso à rede com a exibição da impressão digital do usuário. Embora haja dúvida quanto a esta opção depois que, experimentalmente, nos Estados Unidos, a xerox das digitais de um usuário, no scanner do computador, permitiu o acesso indevido, os técnicos do STF garantem que a técnica de identificação já foi aperfeiçoada.

Velloso anunciou também que todos os serviços internos do Tribunal já estão integrados e que o STF passará a ter suas sessões plenárias transmitidas, na Intranet, on-line, com voz e imagem.

O ano de 2001 entrará para a história também pelo lançamento da pedra fundamental da Rede Informática do Poder Judiciário - Infojus, destinada a interligar todas as unidades e instâncias do Poder Judiciário no País e a servir de elo para a Iudicis, a rede internacional do Poder Judiciário.

A Infojus foi instituída, por meio de portaria, que definiu a Comissão interdisciplinar composta de magistrados e especialistas em informática, dedicada a estudar, debater e propor ações, com base no projeto preliminar desenvolvido no STF.

Já se encontra em processo de aquisição os 2 mil equipamentos para a rede nacional, contemplando inicialmente os estados de GO, MG, MS e MT, com recursos consignados ao STF no Plano Plurianual de Atividades - PPA, para o período 2000-2003.

Além dos R$ 50 milhões previstos na peça orçamentária para o início dos trabalhos, existe a possibilidade de aproveitamento de R$ 36 milhões destinados à interligação da Justiça Eleitoral e, ainda, da oferta internacional de recursos disponíveis no Banco Mundial e no Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Revista Consultor Jurídico, 25 de dezembro de 2000, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 02/01/2001.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.