Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

TRT quer fórum de volta

Novo presidente do TRT de SP quer devolução do Fórum

O novo presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região (São Paulo), Francisco Antonio de Oliveira, quer de volta o polêmico Fórum Trabalhista que foi devolvido à União. Mas não quer administrar a conclusão do prédio. Para o juiz, não é atribuição do Judiciário gerenciar obras.

Francisco de Oliveira foi eleito nesta quarta-feira (2/8), na mais acirrada disputa dos 59 anos do Tribunal. Venceu em segundo turno por 21 votos a 20 do segundo colocado, o juiz Carlos Orlando Gomes. No primeiro turno, ambos empataram com 18 votos.

Em seguida, foi eleita, para a vice-presidência administrativa, a juíza Dora Vaz Treviño; para vice-presidente judicial, Argemiro Gomes; e como corregedor, Gualdo Amaury Formica - que também havia disputado a presidência do Tribunal.

A atual corregedora, Maria Aparecida Pellegrina e o atual vice-presidente Carlos Orlando Gomes, embora habilitados, não participaram das eleições para as vice-presidências nem para a Corregedoria, sinalizando que disputarão a Presidência daqui a dois anos - já que o regimento não permite ocupar dois cargos diretivos antes da Presidência.

As disputas foram acompanhadas por cerca de vinte veículos de comunicação, advogados e funcionários da Casa.

O prédio havia sido entregue a União pelo atual presidente, Floriano Vaz da Silva, após o escândalo do superfaturamento em sua construção.

O presidente eleito do TRT toma posse em setembro. Francisco de Oliveira é mestre em direito do trabalho, formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e autor de diversas obras sobre o Direito Trabalhista.

Oliveira também recebeu a Medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho no grau de comendador pelo Tribunal Superior do Trabalho.

Revista Consultor Jurídico, 2 de agosto de 2000, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 10/08/2000.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.