Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

OAB denuncia crime organizado

OAB elabora dossiê que desmascara crime organizado no Piauí

Documentos que prometem demolir o esquema do crime organizado no Piauí foram entregues nesta terça-feira (5/10) ao ministro da Justiça José Carlos Dias. O dossiê foi entregue pelo presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Reginaldo de Castro, e pelo presidente da seccional piauiense, Nelson Nery.

O calhamaço de mais de 300 páginas contém indícios da interferência de juízes, promotores e advogados em processos criminais relativos a pistoleiros de aluguel. Nery afirma que foi descoberta a origem do assassinato da maioria dos oito prefeitos mortos no Estado nos últimos cinco anos.

O presidente da seccional piauiense disse que a natureza econômica da quadrilha vem da falsificação de notas fiscais para que prefeitos que desviavam as verbas justificassem despesas nas áreas de saúde e educação. Os valores desviados eram de origem federal.

Também foram detectadas conversas de 78 prefeitos do Piauí e dois do Ceará com o crime organizado. Pelo dossiê, o grupo também atua no tráfico de armas e na cobrança de propina para garantir proteção a empresários locais e prefeitos.

Segundo Nelson Nery, há uma referência de que o comandante-geral da Polícia Militar, Valdilio Falcão, esteja envolvido com a quadrilha.

O dossiê foi elaborado através de escuta telefônica envolvendo policiais civis e militares. O trabalho vinha sendo feito em sigilo desde fevereiro, por solicitação do procurador-geral da República Tranvanvan da Silva Feitosa.

A autorização para instalação de escuta telefônica foi dada pelo juiz da 3ª Vara Federal do Piauí, Rui Costa Gonçalves, e era renovada a cada quinze dias para não perder a validade.

Revista Consultor Jurídico, 5 de outubro de 1999, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 13/10/1999.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.